Horário flexível de trabalho: como registrar?

A partir da década de 80, começou a nascer uma geração que tem uma relação completamente diferente com o mercado de trabalho. Se seus antecessores visavam o sucesso e os altos salários, os mais jovens passaram a desejar liberdade e comodidade.

As empresas, por sua vez, passaram a se preocupar mais com o bem-estar do funcionário e, assim, surgiu, com mais intensidade, a jornada flexível de trabalho. No entanto, todos os processos de gestão de pessoas estavam voltados para horários fixos e, por isso, apareceram dificuldades operacionais, como, por exemplo, de registro dessas horas.

Neste post, vamos dar algumas dicas para o registro cada vez mais eficaz da jornada flexível de trabalho:

Como funciona o horário flexível?

Ele é resultado de uma mudança na relação entre capital e trabalho, na qual o empregador e o empregado estabelecem conjuntamente como será cumprida a jornada contratual do funcionário. O número mínimo de horas é estabelecido e é possível negociar como ele será cumprido.

São diversas as possibilidades de adaptações: você pode cumprir mais horas em um dia e menos em outros ou encaixar seu horário dentro de uma grade disponível ou acordar um número determinado de tarefas.

O funcionário, portanto, recebe a autonomia de autogerenciar seu trabalho tendo seus horários de saída e de entrada variáveis! Para apurar horas extras e descontos de faltas, é necessário considerar os acordos e as convenções, que podem ser estabelecidas pelas partes ou pelas normas que regem as respectivas categorias profissionais.

Quais as vantagens do horário flexível?

  • O funcionário poderá cumprir sua jornada no horário escolhido, sem prejudicar seu trabalho;

  • A produtividade cresce, visto que ele se estressa menos, pois programa melhor sua vida pessoal, em atividades como buscar o filho na escola ou praticar atividades físicas, por exemplo;

  • A confiança e a parceria entre empregador e empregado é fortalecida;

  • Há menos horas perdidas com faltas e atrasos devido a atividades ocasionais, como, por exemplo, ir ao médico, ficar preso no trânsito etc;

  • Com o melhor aproveitamento do horário do funcionário, os custos com horas extras diminui;

  • Como o funcionário e o chefe estabelecem confiança mútua, cria-se um ambiente de maior responsabilidade e comprometimento.

Como aferir o cumprimento da jornada flexível?

A tecnologia foi a ferramenta que possibilitou que a flexibilidade fosse possível em maior escala, pois há hoje diversos sistemas e equipamentos que substituem a folha de ponto, permitindo um controle automatizado e confiável do horário do funcionário.

O ponto eletrônico é uma das ferramentas mais básicas, pois registra imediatamente o horário de entrada e de saída do funcionário, permitindo várias entradas ao longo do dia e ainda emite um comprovante para que ele possa se controlar.

A biometria também tem grande valia para proceder esse registro. Com ela, não é necessário praticamente nenhum gasto de papel, além do comprovante para o funcionário. Todas as informações ficam registradas em um sistema, que pode ter armazenamento em nuvem, de modo que esses dados não sejam perdidos e não ocupem muito espaço no escritório de sua empresa.

Por isso, se você deseja se inserir no hall das empresas com processos modernizados, invista no horário flexível. Aumentar a satisfação do funcionário é fazer crescer também a produtividade! Está completamente obsoleta a visão de um horário imposto e autoritário para disciplinar um funcionário.

Achou interessante essa nova proposta de horário trabalhista? Mas ainda tem dúvida dos aspectos legais que ela envolve? Leia nosso artigo sobre as 4 dicas para sua empresa evitar processos trabalhistas!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"