Segurança na cozinha: entenda como não descuidar desse aspecto

Acidentes acontecem, porém, na maioria das vezes, podem ser evitados a partir de medidas simples. Por isso, em alguns lugares, como os restaurantes, manter a segurança na cozinha é essencial para desenvolver um bom trabalho e preservar a qualidade de vida dos funcionários.

Além dos utensílios, fogão e facas, uma cozinha pode oferecer sérios riscos para quem trabalha nela. Dessa forma, para evitar acidentes envolvendo cortes, queimaduras, quedas e até mesmo choques elétricos, é necessário utilizar equipamentos adequados, além de priorizar outras medidas de segurança no local.

Seu restaurante também precisa aumentar a segurança na cozinha? Então entenda quais são os cuidados necessários para driblar os acidentes!

Disponibilize EPIs para sua equipe

O uso dos Equipamentos de Proteção Individual é obrigatório no local de trabalho, inclusive nos restaurantes, onde o risco de se machucar é ainda maior.

Entretanto, além do avental térmico, responsável por inibir chamas, por exemplo, é indispensável oferecer aos funcionários outros materiais de segurança, como diferentes tipos de luvas, máscaras e toucas de proteção.

Lembre-se ainda de disponibilizar equipamentos de qualidade, realizar as trocas necessárias e monitorar o uso para evitar qualquer problema.

Não se esqueça dos EPCs

Assim como os EPIs, os Equipamentos de Proteção Coletiva oferecem o suporte necessário para evitar acidentes. Dentro de uma cozinha é fundamental disponibilizar placas de sinalização, quando o chão está molhado, pisos antiderrapantes em escadas e rampas, aterramento elétrico, extintores, kit de primeiros socorros, entre outros itens importantes.

Vale lembrar que os dois tipos de equipamentos, tanto individual quanto coletivo, precisam ser utilizados juntos, pois um é o complemento do outro.

Analise as áreas de riscos da cozinha

Antes de propor soluções para aumentar a segurança na cozinha, é interessante avaliar quais são as áreas que mais oferecem riscos aos funcionários.

Isso inclui verificar possíveis vazamentos de gás, móveis avariados, armários pontiagudos e equipamentos que podem estar em péssimo estado, como os cabos das panelas, por exemplo. Fazer essa inspeção periódica ajuda a evitar acidentes antes que eles aconteçam e prejudiquem alguém.

Ofereça treinamentos constantes

Sem um treinamento adequado é impossível conscientizar a todos sobre a importância de manter a segurança na cozinha do restaurante. Assim, proponha treinamentos e palestras que alertem sobre a necessidade de utilizar os equipamentos de proteção, além de seguir todas as medidas de segurança para preservar a integridade de todos.

Mantenha sua equipe atenta aos detalhes, principalmente na hora de realizar cortes, utilizar o fogão ou mesmo transportar uma caixa de verduras.

Monitore sempre

O monitoramento é uma ferramenta necessária para impedir que as normas de segurança sejam quebradas. Com isso, monitore com atenção os funcionários, exija o uso dos EPIs e EPCs e crie uma cultura colaborativa, em que todos trabalhem em um ambiente mais seguro, no qual a qualidade de vida é prioridade.

Manter a segurança na cozinha é uma tarefa fácil, basta utilizar os métodos certos e aplicá-los no seu restaurante. Gostou de ler o nosso artigo? Então o compartilhe em suas redes sociais e ajude os seus amigos com as nossas dicas!

Ficha técnica de restaurantes: qual a sua importância?

Existem diversos modelos de ficha técnica de restaurantes e, em meio a toda essa variedade, é importante saber escolher o modelo que melhor se adapta ao seu negócio. Afinal, você deve saber que a ficha técnica é um documento essencial na cozinha de qualquer restaurante e, que quanto maior o grau da precisão dessa ficha, melhor e mais fácil tende a se tornar a gestão do seu restaurante.

Quer aprender como montar a ficha técnica para o seu restaurante, entender definitivamente por que ela é tão importante para o seu negócio e conhecer suas vantagens? Então continue a sua leitura e confira!

Como deve ser uma ficha técnica de restaurantes?

Como dissemos, existem vários modelos de ficha técnica de restaurantes, e é importante que você escolha o que melhor se adequá ao seu tipo de negócio. Mas afinal como deve ser uma ficha técnica? Confira as informações que devem conter ao menos em um modelo básico de ficha técnica de restaurantes:

  • Nome do prato;

  • Preço de custo de cada insumo utilizado na receita;

  • Cotação atualizada do fornecedor;

  • Cálculo de uso — incluindo a perda;

  • Tempo de preparo da receita;

  • Equipamentos utilizados no preparo;

  • Mão de obra envolvida;

  • Métodos utilizados;

  • Armazenamento do produto;

  • Temperatura indicada para armazenamento;

  • Rendimento;

  • Tamanho da porção;

  • Custo final da produção;

  • Impostos envolvidos;

  • Encargos;

  • Custos administrativos;

  • Receituário;

  • Imagem do produto;

  • Instruções especiais — quando necessário.

Qual a importância da ficha técnica?

Esses dados que são colocados na ficha técnica de cada prato, receita ou porção servida em seu restaurante são muito importantes porque ajudam a ter um maior controle administrativo e operacional do negócio.

Com esses dados em mãos é possível não apenas manter um padrão de qualidade nos pratos e drinks servidos no seu restaurante, mas também formar um preço de venda que lhe ofereça uma boa margem de lucro, seja atraente para o cliente e esteja de acordo com o mercado. Confira outras vantagens que a ficha técnica oferece para o seu restaurante:

  • Maior controle das compras a fazer para o restaurante;

  • Informar com precisão os ingredientes e suas respectivas quantidades utilizadas nos pratos servidos em seu restaurante, caso você um dia atenda um cliente que tenha uma dieta específica ou controlada;

  • Não deixar nenhuma dúvida para a sua equipe de cozinha quanto aos ingredientes e o modo de preparo de cada prato;

  • Fazer uma comparação entre as compras dos insumos com a receita proveniente das vendas;

  • Ter maior precisão quanto ao custo total envolvido em cada receita;

  • Muito mais facilidade na hora de treinar novos colaboradores contratados para trabalhar na cozinha do seu restaurante;

  • Facilidade em fornecer os dados necessários para o software de gestão utilizado em seu restaurante.

Enfim, o uso da ficha técnica em seu restaurante é algo indispensável. É a partir deste documento que você pode garantir um padrão de qualidade que conquiste seus clientes, conhecer os custos envolvidos na produção de cada prato, de cada drink para fazer uma melhor administração e abrir espaço para trabalhar os preços.

Não subestime a importância dessa ficha para a administração do seu restaurante, pois uma má gestão é capaz de gerar muitos gastos e levar à falência do estabelecimento.

Se você gostou do post, compartilhe-o em suas redes sociais para que seus amigos e parceiros também saibam da importância da ficha técnica de restaurantes!

5 dicas para um bom atendimento em restaurante

Segundo pesquisas, a maior parte dos clientes que frequenta regularmente bares e restaurantes não recebe bom atendimento. Muitos deles até afirmam que levam em conta mais o atendimento em restaurante do que os preços.

Para que seus clientes não façam parte desse percentual, é preciso adotar uma série de boas práticas e investir em treinamentos para capacitar seus funcionários na hora de atender.

Para quem quer ter um estabelecimento que se destaque não apenas pelos pratos, vale a pena conferir estas dicas para melhorar o atendimento em restaurante!

1. Nada de cliente esperando

Nada mais desagradável do que ficar esperando, seja pela mesa, seja pelo pedido ou pela conta. Ninguém quer perder tempo, e um restaurante onde os clientes estão sempre esperando não é nada atrativo. Para que isso não ocorra, é importantíssimo que seu estabelecimento tenha o número suficiente de garçons e funcionários.

Não deixar seu cliente esperando demonstra o quanto ele é importante para você. Caso a demora no atendimento em restaurante seja inevitável, esclareça o motivo e demonstre boa vontade em resolver o problema. Isso com certeza o deixará mais tranquilo.

2. Gentileza sempre

Parece uma questão de bom senso, mas nem sempre sua equipe está treinada para ser gentil e atender bem a clientela. Qualquer pessoa que entrar em seu restaurante deve ser atendida como se fosse única, além de ser recebida com um sorriso.

Boa vontade ao explicar o cardápio e também ao ouvir os pedidos dos clientes conta muitos pontos e evita aborrecimentos e reclamações.

Mas atenção: seja gentil também com seus funcionários e estimule a gentileza entre eles. Nada pior do que ir a um restaurante ― ou a qualquer outro estabelecimento comercial ― e presenciar falta de gentileza e respeito entre os membros da equipe.

Um bom atendimento certamente refletirá no ambiente de trabalho e deixará todos muito mais satisfeitos.

3. Dê atenção às reclamações

As reclamações, queixas ou sugestões de um cliente não devem jamais ser ignoradas. Fique atento a elas e faça o possível para solucioná-las. É importante também que todos os seus funcionários sejam orientados no sentido de levar aos seus superiores qualquer comentário, positivo ou negativo, feito pelos clientes.

Se a crítica ou a reclamação for justa, tente recompensar seu cliente com algum mimo ou desconto. Isso demonstrará que você se importa com o bem-estar e a opinião dele.

4. Tire proveito da tecnologia

Mais uma forma de ter um bom atendimento é a utilização de tecnologia como forma de facilitar a sua vida e a do seu negócio, então que tal investir nela para melhorar o atendimento em restaurante?

Um exemplo de tecnologia que pode ser utilizada em bares e restaurantes é o cardápio digital, que oferece grande comodidade aos clientes: com ele, é possível fazer o pedido on-line, por meio de smartphone ou tablet, sem ter que esperar o garçom.

Porém, é interessante que, mesmo adotando esse tipo de cardápio, o restaurante dê ao cliente a opção de atendimento realizado pelo garçom. Afinal, algumas pessoas, principalmente as de mais idade, ainda tendem a preferir um atendimento mais pessoal e humanizado.

Outra boa opção tecnológica é o uso da comanda eletrônica, que contribui para maior agilidade e qualidade do atendimento. Com ela, todos os pedidos retirados pelos garçons no salão são automaticamente enviados para as impressoras da cozinha ou do bar.

Assim, diminui-se a possibilidade de algum erro na anotação dos pedidos e elimina-se a correria dos garçons levando pedidos para a cozinha.

5. Tenha paciência com clientes difíceis

Nem sempre o cliente tem razão, e pessoas difíceis de lidar estão em todo lugar. Nesses casos, o melhor é exercitar a paciência.

Ouça com a atenção o que cliente tem a dizer, mesmo que ele esteja sendo agressivo ou injusto. Não o trate com arrogância ou desdém. Jamais grite ou seja mal educado, não demonstre insatisfação ou impaciência.

Com clientes difíceis, a melhor tática é sempre se manter calmo, já que qualquer indício de irritação de sua parte ou de algum funcionário pode piorar a situação.

Gostou das dicas para melhorar ter um bom atendimento em seu restaurante? Não deixe de colocá-las em prática. Caso tenha alguma dúvida ou sugestão, deixe seu comentário. E bons negócios!

7 razões para fazer treinamentos em restaurantes sempre!

Os treinamentos em restaurantes é uma excelente oportunidade para melhorar e ajustar as “pontas soltas” dentro do seu estabelecimento.

O negócio só tende a crescer, ter uma boa reputação e ser recomendado pelos clientes. O colaborador também se sente mais valorizado quando possui um maior domínio sobre a melhor maneira possível de fazer seu o trabalho.

Além desses benefícios, listamos 7 bons motivos para que a capacitação da equipe deixe de ser vista como gasto e se torne um dos seus melhores investimentos. Acompanhe!

Por que promover o treinamento em restaurantes?

1. Aumenta a capacidade de resolver problemas

É muito comum, quando acontece algum problema dentro do restaurante, que o gerente (ou alguém responsável por esse departamento) logo seja acionado. Mesmo as questões mais simples precisam de outra pessoa para serem solucionadas.

Isso aumenta o tempo de resolução, além de reforçar a hierarquia e gerar uma menor independência dos funcionários, entre outras consequências ruins para o negócio.

Portanto, é muito importante que todos que trabalham na cozinha sejam capazes de resolver desde problemas mais simples até os complexos, mas, principalmente, aqueles que são urgentes. O responsável pode não estar presente no momento e a equipe precisa aprender a tomar as decisões corretas.

Um problema bem corriqueiro é o cliente se queixar da comida. O funcionário precisa saber lidar com esse feedback negativo da melhor forma possível, para que o público volte outras vezes e tenha uma boa impressão do estabelecimento.

2. Reduz o desperdício

Sim, treinamentos em restaurantes é capaz de reduzir o desperdício de comida dentro dos estabelecimentos, aumentar os lucros e diminuir os custos. E isso não significa diminuir o padrão de qualidade ou a eficiência da equipe: pelo contrário! As capacitações ajudam a melhorar a rotina de trabalho, tornando-a ainda mais eficiente e eficaz.

Esse tipo de conhecimento é importante principalmente nos períodos de alta estação, quando os restaurantes ficam lotados. A cozinha costuma preparar uma grande quantidade de alimentos e acaba pedindo muito mais matéria-prima do que o necessário.

3. Melhora o atendimento ao cliente

Há diversos tipos de público e o funcionário deve estar preparado para todos eles. Não faça a suposição de que o colaborador saberá lidar com outras pessoas — e nem sempre a célebre frase “o cliente sempre tem razão” está correta. É preciso identificar quando isso é (ou não) verdade.

Saber lidar com cada padrão de personalidade e se comunicar bem, para oferecer o melhor serviço possível, é uma arte! Os clientes mais tímidos, por exemplo, costumam não falar muito e, por isso, podem acabar pedindo algo que não era exatamente o que queriam.

A equipe, por sua vez, tem a opção de fazer sugestões e criar um maior diálogo, sem invadir o espaço do próximo, mas deixando-o mais à vontade. Outro tipo de consumidor bastante comum é o deficiente visual, que tem a necessidade de um cardápio em braile e mais atenção dos funcionários.

Um dos pontos mais importantes do treinamento é fazer com que o cliente não seja tratado como uma criança por conta da deficiência.

4. Oferece noções básicas de marketing

Cozinhar é uma arte, mas, se o restaurante quer continuar com as portas abertas, é necessário saber vender também. Além do dom e do jogo de cintura, é preciso ter a teoria e o conhecimento de noções básicas sobre o assunto para conseguir alcançar um bom resultado.

O objetivo é estimular o público a consumir. Sabendo um pouco mais de vendas, o funcionário terá maior facilidade para identificar quais são as reais necessidades de quem está servindo e atrair o interesse dele.

5. Mantém a higiene do local

Limpeza e higiene são palavras-chave dentro de qualquer restaurante. Não importa o tamanho ou o número de funcionários: este é o tipo de estabelecimento que precisa estar impecavelmente limpo.

E, para que a equipe esteja sempre em dia com esse pensamento, um treinamento dará todas as coordenadas sobre o que deve ser feito a respeito. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) tem normas bem claras e específicas para um restaurante.

A preocupação com essa questão é grande, já que o consumo de alimentos contaminados pode representar um grande perigo para qualquer pessoa. Há alguns itens básicos que todo colaborador deve saber, como:

  • a comida, em hipótese alguma, pode ser servida se não estiver completamente cozida;
  • pratos quentes e frios devem sempre ser armazenados em locais separados;
  • o lixo precisa ser retirado com frequência e colocado em um local longe dos alimentos.

Essas são apenas algumas das regras imprescindíveis para o setor. Com um treinamento, você terá todas as informações de que precisa sobre esse assunto.

6. Oferece maior segurança aos funcionários

O uso dos Equipamentos de Proteção Individual, mais conhecidos como EPIs, ainda encontra certa resistência entre os funcionários. Por mais que os tenham em mãos e saibam que se trata de uma obrigatoriedade, os colaboradores não têm noção dos diversos riscos que estão correndo.

Essa falta de segurança e conhecimento sobre o assunto pode ser sanada com os treinamentos. Além disso, a equipe deve estar preparada para agir rapidamente em situações mais graves, como, por exemplo, incêndios (algo que pode ocorrer facilmente em uma cozinha).  

7. Melhora a imagem do estabelecimento

A primeira impressão é a que fica. E não estamos falando apenas da aparência do restaurante e dos pratos que são servidos — a forma como o funcionário se veste é analisada pelos clientes e, dessa forma, a imagem passada também é a do estabelecimento. Portanto, ele deve estar impecável no ambiente de trabalho.

Os treinamentos em restaurantes mostrará para os colaboradores do local a importância de uma boa apresentação e como ela oferece um ar mais profissional. O indicado é que a roupa esteja alinhada, sem manchas, amassados ou fios soltos.

Não é preciso algo tradicional, com terno e gravata, se o estilo do estabelecimento não pedir. Mas a equipe deve estar bem apresentável.

Viu só como o treinamento em restaurantes pode fazer toda a diferença? Quer aumentar ainda mais a produtividade do seu empreendimento? Então baixe o nosso e-book agora mesmo!