Biometria não funciona, o que fazer?

Erro de leitura no momento da biometria. Quem nunca enfrentou esse problema tão recorrente? Afinal de contas, estamos falando de máquinas que, a qualquer momento podem sim apresentar algum tipo de defeito. É claro que, dependendo do fornecedor, algumas mais que outras.

Porém, existem outros motivos para as falhas além desse. Pode ser por conta de uma configuração feita de maneira errada ou mesmo por conta do próprio usuário. Por exemplo, em locais nos quais os funcionários trabalham com produtos químicos, é comum a biometria apresentar problemas.

Como resolver quando a biometria não funciona?

Vamos agora passar algumas dicas do que pode ser feito nesse tipo de situação e quais cuidados devem ser tomados.

Escolha o dedo mais adequado

Algumas pessoas acreditem que a biometria deve funcionar perfeitamente em qualquer dedo. De fato, qualquer dedo cadastrado tem a impressão digital, mas existem alguns que conseguem oferecer melhor adaptação ao equipamento.

Por exemplo, o polegar deve ser evitado por conta da área de contato que pode ser maior que a do leitor. O dedo mínimo também não é indicado por conta da sua área muito pequena e boa parte do leitor não tem contato com a impressão.

Por conta disso, as melhores opções são os dedos indicador, anular e médio.

Remova suor e outras substâncias

Você está bebendo uma garrafa de água gelada e a ponta dos dedos ficaram umedecidas. Naturalmente, ao usar algum tipo de biometria, a sua digital não será identificada por conta dessa barreira líquida que se forma na região. Isso acontece com qualquer pessoa, portanto, verifique com o funcionário e tenha sempre um lenço de papel próximo para ajudar nessas situações.

Além de água, qualquer outro tipo de substância como suor, poeira, produtos químicos e cosméticos podem impedir que a leitura da digital seja feita sem falhas.

Analise a idade

Sabia que, com o passar dos anos, a nossa impressão digital se desgasta e já não é a mesma de antes? Sendo assim, os idosos podem apresentar alguns problemas na leitura biométrica, mas isso não é uma regra. Isso pode acontecer, mas o tipo de profissão que a pessoa exerceu durante a vida é um fator que deve ser considerado.

Por exemplo, pessoas que faziam faxina, lavavam roupa, trabalhavam na terra, na construção civil e em outros locais do tipo, podem ter, com o passar do tempo, a estrutura da digital comprometida.

Preste atenção na hora de cadastrar

Antes de cadastrar o usuário, tenha a certeza de que a configuração do aparelho está correta e dentro do que é indicado. A partir disso, tenha cuidado no momento de realizar o cadastramento biométrico. Assim, verifique também se já não há um cadastro daquela pessoa no banco de dados. Cadastrar mais de um dedo pode causar problemas de identificação.

Use outras tecnologias

Existem diversas outras opções de tecnologias que podem substituir o cadastramento biométrico e oferecer mais agilidade e menos problemas como os citados acima. Você pode fazer o controle de ponto ou de acesso em qualquer tipo de negócio no qual atue e que precise desse tipo de equipamento funcionando da melhor forma possível.

Por exemplo, usar uma solução que possa identificar o usuário pela leitura de um cartão é uma excelente solução para os problemas de biometria. Você pode, inclusive, usar um equipamento que ofereça as duas formas de controle.

Quer saber mais sobre esses equipamentos? Então acesse as nossas soluções!

Nossos Produtos

Afinal, o ponto biométrico é obrigatório nas empresas?

A legislação tornou o controle eletrônico do sistema de ponto uma questão obrigatória em 2009. O controle de ponto, no entanto, vem sendo realizado desde a CLT como forma de controlar a jornada de trabalho.

Com a edição de novas normas pelo Ministério do Trabalho e Emprego a questão foi flexibilizada, mas ainda assim a obrigatoriedade é a regra e não a exceção.

Dentre os modelos existentes para o controle eletrônico do ponto, o ponto biométrico vem se tornando uma das favoritas das empresas, já que esse sistema praticamente inviabiliza as fraudes. Para saber mais, confira!

O que é o ponto biométrico?

O ponto biométrico é uma forma de controle de ponto eletrônico que se dá através da identificação das impressões digitais, íris do olho e até mesmo a voz do colaborador. Contudo, o sistema mais comum é aquele adotado a partir das impressões digitais.

Como esse tipo de identificação é único, ou seja, cada ser humano tem suas impressões digitais as chances de fraude são praticamente nulas. Esse sistema, portanto, evita uma série de problemas com a Justiça Trabalhista e demais órgãos de fiscalização.

O que diz a legislação?

A adoção e a homologação do ponto eletrônico, seja ele biométrico ou não, passou a ser uma obrigação para as empresas. Com a edição da Portaria 1510/09, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) passou a exigir a adoção de um sistema eletrônico de controle de ponto. Essa medida faz com que as empresas sejam forçadas a se adequarem e viabilizarem um método para a fiscalização de entrada e saída do funcionário.

Tal Portaria, no entanto, causou uma série de questionamentos e, por isso, foi alterada inúmeras vezes por outras Portarias que trouxeram novas regras e novos prazos para tal exigência da legislação.

Com a Portaria 373/11, por exemplo, a obrigatoriedade das empresas com relação ao ponto eletrônico foi flexibilizada. Com essa norma, as empresas podem adotar um sistema alternativo de controle de ponto. Porém, é necessário que elas estejam autorizadas pela Convenção Coletiva de Trabalho ou Acordo Coletivo, que é celebrado junto aos Sindicatos, para obterem esse tipo de maleabilidade perante a lei.

Diferentemente do sistema eletrônico, os sistemas alternativos de controle de ponto não precisam ser homologados ou certificados pelo MTE e demais órgãos. Entretanto, diante de uma situação de fiscalização, a empresa deve fornecer toda documentação que comprove o efetivo controle de ponto.

Formas alternativas de registro de ponto

O relógio de ponto biométrico é uma das tecnologias mais avançadas em termos de controle de ponto. Como os dados colhidos a partir das impressões digitais são únicos, a taxa e as chances de fraude se reduzem a praticamente zero. Contudo, essa não é a única forma de se fazer o registro do ponto.

O relógio de código de barras, cartográficos e até os smartcards são formas alternativas de registro do ponto.

Compliance e penalidades

Caso a empresa não atenda à legislação os fiscais do MTE poderão promover a autuação e a aplicação de penalidades. Dependendo do tamanho da empresa e do tipo de infração, a multa pode chegar a R$ 4mil.

Você tem uma empresa e ainda não adotou o controle eletrônico de ponto?

3 diferenças do ponto biométrico em relação ao ponto manual

Com o avanço da tecnologia, quase todas as atividades de uma empresa podem, hoje, ser executadas com o auxílio de ferramentas automatizadas mais eficazes. O estoque pode ser gerenciado através de softwares, a produção pode ser realizada por máquinas praticamente do princípio ao fim, e o controle do horário de trabalho dos funcionários pode ser feito com o ponto biométrico.

Mas como o ponto biométrico difere do ponto manual? E quais são suas vantagens? É o que vamos mostrar no post de hoje. Continue a leitura!

O ponto manual

Na verdade, chamamos de “ponto manual” qualquer controle de ponto que necessite, em algum momento do processo, de uma pessoa anotando a frequência dos funcionários.

É o caso do livro ou da folha de ponto, em que cada funcionário anota e assina, diariamente, o horário em que começou e parou de trabalhar. Nesse caso, o próprio funcionário é responsável por prestar as contas dessas informações.

Outro exemplo de ponto manual é o relógio cartográfico, máquina que registra a entrada e saída dos funcionários em um cartão específico. Embora esse tipo de controle de ponto utilize uma máquina no processo, todos os dados ainda precisam ser planificados pela equipe de Recursos Humanos — que irá separar as horas normais das horas extras e fazer os devidos cálculos para pagamento. Ou seja, boa parte do processo ainda é manual.

O ponto biométrico

O ponto biométrico realiza o controle de entrada e saída dos funcionários através da leitura de uma digital cadastrada. Ao começar ou encerrar sua jornada diária, o funcionário posiciona seu dedo sobre um leitor biométrico, que o identifica e registra o horário.

Esses dados são salvos automaticamente — e, posteriormente, lançados em um software especializado. Esse software irá cruzar os dados do ponto com o registro de cada funcionário, identificando as horas extras trabalhadas e realizando os cálculos necessários para determinar o pagamento devido.

Além disso, a máquina de ponto biométrico ainda emite um pequeno comprovante que o funcionário pode coletar e utilizar para fazer seu próprio controle de horas trabalhadas. Dessa forma, ele tem acesso às mesmas informações coletadas pela máquina, o que torna o processo seguro e confiável para ambas as partes.

As vantagens do ponto biométrico

Menos erros 

O maior problema do ponto manual é que ele permite que ocorram erros ou distorções — até mesmo os pontos que utilizam crachá e código de barras podem ser “burlados”. Em outras palavras, estas não são ferramentas 100% confiáveis, por mais criteriosa que a equipe do RH seja em sua aplicação e uso.

A principal vantagem do ponto biométrico é que ele reduz de maneira drástica as ocorrências de erros no cálculo de horas trabalhadas e do salário correspondente a ser pago. Assim, a empresa pode estar segura de cumprir com as obrigações trabalhistas.

Maior confiança

O ponto biométrico é que ele garante total confiabilidade das informações. Sabemos que um controle manual pode abrir espaço para que alguns funcionários ocultem pequenos atrasos ou, até mesmo, eventuais faltas. Há, ainda, as ocasiões em que um funcionário bate o ponto do outro.

Essa é uma realidade do mundo do trabalho. Com um controle biométrico, essas situações não ocorrem, pois não há como forjar a presença.

Essa informação fidedigna pode, inclusive, ser utilizada para avaliar os funcionários. Quando sabemos com clareza qual o nível de assiduidade e pontualidade do indivíduo, entendemos melhor seu perfil. Podemos identificar se ele é um funcionário confiável, que tem comprometimento com a empresa, ou se desrespeita regras e horários.

Mais produtividade

Para completar, o ponto biométrico reduz o tempo necessário para que uma equipe de Recursos Humanos faça o controle de ponto dos funcionários. Em outras palavras, o setor de RH fica mais livre e disponível para trabalhar em atividades importantes da gestão estratégica de pessoas, como campanhas motivacionais ou treinamentos corporativos.

Por causa dessas vantagens, o ponto biométrico é a melhor escolha para qualquer empresa, independente da quantidade de funcionários ou do tamanho da equipe de RH responsável pelo controle de ponto.


Viu como o ponto biométrico apresenta muitas vantagens em relação ao ponto manual? Como é feito o controle de ponto na sua empresa? Tem outras dúvidas? Deixe seu comentário e entre para a conversa!

3 tipos de controle de ponto ideais para pequenas empresas

Sabemos que, com a correria do dia a dia, muitas vezes fica difícil acompanhar o horário de entrada e saída da equipe. No entanto, é preciso ficar atento quanto a isso! A marcação de ponto dos funcionários é importante para cumprir as leis trabalhistas, evitar atrasos, manter a equipe produtiva e acompanhar as horas extras — para, assim, controlar as finanças da empresa.

A CLT estabelece a obrigatoriedade de controle de ponto manual, mecânico ou eletrônico para empresas com mais de dez empregados. Portanto, as pequenas empresas também precisam investir em um sistema de marcação de ponto, para controlar melhor o horário dos funcionários e evitar problemas trabalhistas no futuro.

Sua empresa ainda não possui um sistema para registrar a jornada de trabalho da equipe? Então, continue a leitura e descubra qual é o melhor controle de ponto para pequenas empresas! Vamos lá?

Livro de ponto

Esse é um método antigo, muito utilizado como controle de ponto para pequenas empresas — e, também, para registrar a jornada de trabalho de funcionários que recebem por hora ou, ainda, para aqueles que realizam atividades externas.

No passado, as empresas só podiam contar com esse tipo de marcação, o que faz com que até hoje muitas delas continuem adotando o sistema, mesmo que já existam soluções mais modernas e eficientes.

Neste modelo, o registro é feito em livros que apresentam tabelas. Nelas são incluídas as informações de horário de início e de término da jornada de trabalho do colaborador no período determinado. O livro de ponto tem como a principal vantagem o fato de ser de baixo custo, sendo o método mais barato entre todas as opções disponíveis. Ideal para microempresas que precisam economizar para crescer no longo prazo.

Entretanto, esse sistema passa a apresentar desvantagens consideráveis na medida que a empresa começa a progredir e aumentar seu quadro de funcionários, pois não fornece muita exatidão nos seus apontamentos. Além disso, o documento pode ser facilmente alterado e os erros tendem a acontecer com maior frequência, pois a contabilização das horas é feita manualmente.

É popularmente adotado em escolas, pois facilita a marcação de quem trabalha por horas — como professores que precisam anotar os horários em que deram aulas nos dias da semana — sendo uma opção viável para empresas com horários mais flexíveis.

Relógio de ponto cartográfico

Outra alternativa para o controle de ponto de pequenas empresas é o ponto cartográfico, conhecido também como relógio mecânico. Ele é um controle de ponto com registro manual, no qual o funcionário insere um cartão de papel que registra os horários de entrada e de saída.

Esse é um método relativamente seguro, pois nele, não existe a possibilidade de modificação e rasuras. No entanto, para que seja eficaz, é preciso que o profissional bata o ponto todos os dias corretamente. Além disso, é preciso conferir se é o funcionário quem está batendo o seu próprio ponto.

Tem como vantagem ser um sistema que não exige manutenção constante, o que faz dele uma boa opção para empresas que já podem começar a investir, mas não necessitam de soluções tão avançadas e de alto custo.

A grande desvantagem deste método, em relação aos mais avançados, talvez seja a contabilização manual das horas trabalhadas, pois isso demanda um tempo considerável da equipe de RH e torna a contagem suscetível a falhas humanas. Contudo, o relógio mecânico possui custo acessível e seu uso é simples.

Entretanto, demanda uma pontualidade “britânica” dos funcionários no cumprimento dos horários e exige um monitoramento para que outros funcionários não batam o ponto por quem estiver ausente.

Relógio de ponto eletrônico

Há dois tipos de relógios eletrônicos: o ponto com cartão e o ponto biométrico. No primeiro, o controle de horas é feito com uso de um cartão individual ou crachá. O sistema pode ser instalado nas catracas de entrada da empresa, o que facilita a marcação do ponto. Por outro lado, o desgaste ou a perda do cartão pode gerar custos extras para a empresa, uma vez que as unidades precisarão ser rapidamente substituídas.

O ponto biométrico, por sua vez, faz o controle de horas dos funcionários a partir da impressão digital deles. Isso garante precisão ainda maior, pois, diferente do cartão de ponto — que o funcionário pode esquecer em casa ou perder —, a leitura digital pode ser realizada todos os dias, sem contratempos.

O controle de ponto biométrico também é útil para as empresas que precisam registrar horários de trabalho flexíveis, ou acompanhar a jornada de profissionais que realizam serviço externo — pois é possível registrar o ponto online com o uso de leitores biométricos via internet.

Ambos os métodos agregam praticidade e segurança ao dia a dia da empresa, evitando fraudes no controle de ponto. Além disso, eles armazenam os dados na nuvem, o que impossibilita que as informações registradas se percam.

Isso é muito importante, pois o registro dos pontos deve ser armazenado por cinco anos, para evitar qualquer processo trabalhista. Dessa forma, é essencial analisar qual das alternativas disponíveis agrega mais segurança e melhor custo-benefício à empresa.

O que diz a legislação sobre o controle de ponto

O uso do ponto é obrigatório para a empresa que possui acima de dez funcionários, sendo facultativo para os demais casos. É o que diz o artigo 74 do 2º parágrafo da CLT. Essa responsabilidade cabe tanto ao empregador quanto aos empregados, que precisam fazer a devida marcação de ponto.

Aqui, é preciso chamar a atenção para um detalhe: o artigo trata da obrigatoriedade do uso do ponto para estabelecimentos com mais de dez funcionários, não empresas. Isso significa que se uma empresa possui uma equipe com mais de uma centena de colaboradores, mas em determinada filial ela possui apenas nove funcionários, consequentemente, neste estabelecimento o uso do ponto não será necessário, mas nas outras unidades sim, caso tenham mais de dez colaboradores.

Outra exigência da CLT: de acordo com o artigo 62, incisos I e II, não são obrigados a participar do controle de ponto os colaboradores que:

  • Exercem atividade externa sem horário fixo;

  • Possuem cargo de gerência ou de confiança.

Assim, cabe à empresa e ao trabalhador fazerem o registro do horário de entrada e de saída, das informações a respeito dos intervalos para almoço e outras pausas durante o período de trabalho.

Caso essas exigências não sejam cumpridas, a empresa poderá sofrer as devidas penalizações. Além disso, ao enfrentar uma ação trabalhista movida pelo funcionário contra a companhia, cabe a ela apresentar os registros para comprovar os horários de entrada e saída, as horas extras, os intervalos, entre outras reclamações que podem ser confrontadas com o registro do controle de ponto.

Não existe obrigatoriedade sobre a forma com a qual esse registro pode ser realizado. Isso permite às empresas escolherem o sistema que pretendem implantar, seja ele escrito ou eletrônico.

Investir num controle de pontos para pequenas empresas permite a você se adequar à legislação e obter credibilidade. Como você tem feito esse controle na sua organização? Deixe seu comentário!

Ponto Biométrico: por que utilizar no controle dos funcionários?

Fazer o controle de horário dos funcionários de sua empresa é importante, não só com relação à hora de entrada, de saída e de intervalo, mas também para o controle das horas extras. Por isso, confira agora como é essencial ter o controle biométrico para o fim de controle de horários de entrada e saída de funcionários na sua empresa!

Como funciona o ponto biométrico?

O ponto biométrico é um relógio de ponto que serve para contabilizar os horários dos funcionários e oferecer segurança para a empresa, já que utiliza uma característica exclusiva de cada pessoa, como a digital do dedo ou da mão toda, a voz ou a íris dos olhos. A impressão digital, no entanto, é o método mais comum, mais acessível e extremamente eficaz para a identificação.

O ponto biométrico é instalado na empresa e é feito o registro das digitais das pessoas que terão acesso aos locais. O registro conta também com o nome do utilizador, permitindo que o funcionário seja identificado pelo nome cada vez que utilizar o ponto.

Quais as vantagens oferecidas pela utilização do ponto biométrico?

  • Confiabilidade: por se tratar de um controle biométrico — ou seja, que depende da digital de cada funcionário, uma característica física que é exclusiva de cada um —, as chances de fraudes e burlas chegam a ser praticamente nulas, isto é, trata-se de um método 100% confiável!

  • Custo/benefício: por se tratar de um método extremamente eficaz e confiável de segurança, vale muito a pena investir na utilização de pontos biométricos na sua empresa. Além disso, o preço é bem justo, tendo-se tornado acessível tantoaté para as micro/pequenas empresas, podendo ser utilizado tanto em portas como em cancelas e catracas.

  • Facilidade para a empresa: o aparelho tem uso extremamente simples e é de fácil instalação, não necessitando estar conectado a computadores, por exemplo. As marcações de ponto podem ser controladas por meio de arquivos de texto que são configurados pelo usuário através de um software muito prático que permite a coleta de informações a partir do próprio aparelho, impresso ou a partir de um pendrive utilizando a entrada USB.

  • Cumprimento das leis trabalhistas: hoje em dia, é obrigatório por lei que as empresas utilizem pontos eletrônicos para controlar entradas, saídas, intervalos e horas extras de seus funcionários. Uma solução que oferece muita rapidez, confiança e praticidade para as empresas!

  • Diminuição de custos: se a sua empresa optar por crachás com códigos de barra, por exemplo, de tempos em tempos terá de arcar com os custos de produção de crachás ou cartões magnéticos, que, dependendo da quantidade de funcionários, podem ser altos. Além disso, existem os casos de perda e extravio de crachás e cartões magnéticos, que podem ser perfeitamente evitados com a utilização do ponto biométrico.

  • Integração: é possível integrar o ponto biométrico com outros sistemas da empresa para ter melhor controle sobre entrada e saída de funcionários, controle de faltas, bem como o cálculo de suas horas extras, por exemplo. Se o ponto estiver integrado com o sistema utilizado no RH da empresa e ao setor contábil, por exemplo, torna-se muito mais fácil para ambos fazerem o cálculo de horas dos funcionários, emitir as folhas de pagamento, tornando praticamente nulas as possibilidades de erro humano.

Conheça o Relógio de Ponto Biométrico mais rápido, eficiente e a prova de fraudes!

Então, que tal adotar o uso do ponto biométrico em sua empresa também?


Conheça as 5 vantagens do ponto biométrico

Uma das tecnologias que vem sendo usadas pelas empresas para substituir os sistemas de cartão, relógio de ponto ou controle de ponto manual é o ponto biométrico. O sistema utiliza recursos biológicos em mecanismos de identificação, como a impressão digital de um dedo. Essa se torna a “assinatura” do funcionário: servindo como controle de entrada e saída da empresa, bem como horários de almoço e intervalos. A praticidade e a segurança que esse sistema oferece são praticamente incomparáveis às demais opções. Mas se ainda assim você tem dúvidas se deve ou não instalar o ponto biométrico na sua empresa, confira as 5 vantagens que ele pode oferecer!

Não é necessário memorizar senhas

Para acessar o ponto biométrico, basta usar a impressão digital — também há aparelhos que funcionam através da íris do olho ou por voz, mas são mais incomuns. Esse procedimento eficaz elimina a necessidade de o funcionário precisar usar senhas de acesso e, portanto, evita também as chances de elas serem esquecidas pelas pessoas.

Elimina o problema de esquecimento de cartões

Em uma empresa com muitos funcionários, a probabilidade de alguém esquecer o cartão ponto é alta. Esse problema leva algum tempo para ser solucionado, pois o controle precisa ser igual para todos. O ponto biométrico elimina a necessidade de o funcionário ter que sempre portar o cartão magnético, todos os dias, para poder entrar e sair da empresa sem problemas. É uma questão a menos para a empresa se preocupar, evitando perda de tempo cada vez que alguém esquecer o cartão em casa.

Evita fraudes no registro do ponto

As características biológicas usadas no ponto biométrico são pessoais e intransferíveis. Portanto, não há chances de uma pessoa se passar por outra para “bater ponto”. Essa é uma das garantias para a empresa que utiliza o ponto biométrico como maneira de controlar e autenticar a entrada e saída dos seus funcionários. Ele exige a presença física da pessoa para fazer esse controle e ninguém pode substituí-la ou se passar por ela.

Praticidade e segurança

Uma das vantagens do ponto biométrico é sua praticidade e facilidade de acesso. Não tem como negar: não precisar assinar ponto todos os dias ou carregar e passar o cartão magnético é uma praticidade tanto para o funcionário quanto para o empresário e para o departamento de recursos humanos. A outra grande vantagem é a segurança que ele oferece para a empresa, pois não há maneiras de uma pessoa não cadastrada no sistema entrar na empresa sem autorização. Isso evita muitos problemas com a entrada de pessoas indesejadas ou que apresentem algum risco para a empresa.

Excelente custo-benefício

Pelas vantagens que oferece, o ponto biométrico tem um custo acessível às empresas. Com um sistema que oferece segurança, praticidade e que evita desperdício de tempo e dinheiro (com cartões magnéticos perdidos, por exemplo), é possível ver claramente que o investimento vale a pena.

O ponto biométrico é uma alternativa que agrega tecnologia, segurança, praticidade e economia de tempo para as empresas.