Entenda a importância da gestão de tributos e encargos em restaurantes!

Muitos empreendedores querem entrar para o ramo de restaurantes pois acreditam que o lucro é praticamente certo. Porém, gerenciar um negócio desse tipo não é uma atividade nada simples.

Além da logística com fornecedores, da administração de funcionários e da criatividade para atrair a clientela, quem possui um restaurante também deve contar com uma boa gestão de tributos.

Assim como a questão tributária afeta qualquer empresa, os restaurantes também devem ficar atentos na hora de recolher impostos para não prejudicar o faturamento.

Quer saber qual a melhor forma de fazer uma boa gestão de tributos e de encargos para o seu restaurante? Então, continue lendo este post:

Por que restaurantes devem apostar em planejamento tributário?

O Brasil conta com uma das cargas tributárias mais altas do mundo. A grande quantidade de tributos, somada às contradições da legislação tributária, gera um cenário fiscal bastante complexo e que desfavorece empresas dos mais variados setores.

Justamente por isso, uma boa gestão tributária deixou de ser algo estratégico para se tornar uma medida essencial para a sobrevivência de muitos restaurantes. Otimizar — e até reduzir a quantidade de tributos — é uma operação possível.

No entanto, é necessário contar com o auxílio de um profissional especializado na hora de fazer um planejamento tributário.

Como funciona o planejamento tributário?

Para quem não conhece, o planejamento tributário é um estudo que avalia as diferentes formas de incidência de tributos sobre uma determinada empresa. Por meio desse levantamento, é possível direcionar as atividades da empresa, fazendo com que ela recolha os impostos necessários na menor carga tributária possível.

Esse procedimento se chama elisão fiscal e não deve ser confundido com evasão fiscal.

  • Na elisão fiscal, o restaurante evita ou mesmo posterga a ocorrência do fato gerador (fato que determina o recolhimento de tributos);

  • já na evasão fiscal, ocorre a sonegação, ou seja, a empresa deixa de recolher os impostos necessários e comete um crime.

O que é enquadramento fiscal inteligente?

Além de estudar as formas de otimizar a carga tributária de um restaurante, o planejamento tributário também avalia o enquadramento fiscal da empresa. Dependendo do tipo societário escolhido para o restaurante, é possível determinar qual será o seu regime tributário.

Boa parte dos restaurantes, por serem micro e pequenas empresas, acabam optando pelo Simples Nacional. No entanto, dependendo da situação, o enquadramento pelo Lucro Presumido, por exemplo, pode ser mais interessante.

Para saber qual é a melhor estratégia, o ideal é buscar o auxílio de um profissional especializado na área jurídica ou de contabilidade.

Lembre-se que não existe uma receita para realizar um bom planejamento tributário. É preciso ver caso a caso e conhecer o modelo societário e tributário antes de otimizar a quantidade dos impostos que recaem sobre o restaurante.

Se recolho pelo Simples, já não tenho a menor carga tributária?

Alguns modelos tributários — como o Simples Nacional — visam aplicar uma carga menor às empresas. Por isso, é destinado aos pequenos negócios.

Porém, apenas recolher pelo Simples não significa que o seu restaurante tem a menor carga tributária possível. Em alguns casos, como mencionamos, o Lucro Presumido pode ser a melhor opção. Por isso, vale a pena investir em um bom profissional.

Menos tributos significa também menos encargos no orçamento — o que impacta diretamente no lucro.

Você gerencia um restaurante e gostou dessas dicas? Então, não deixe de compartilhar nas redes sociais e ajude outros empreendedores a saberem mais sobre a carga fiscal e como otimizar o pagamento de tributos em um restaurante!

Gestão de restaurantes: como reduzir o consumo de água e energia?

Fazer uma boa gestão de restaurantes requer um certo conhecimento técnico e também atenção aos detalhes. Uma tarefa muito importante dentro da responsabilidade do gestor é reduzir os custos, e isso pode ser feito analisando algumas particularidades que passariam despercebidas por muitos.

Por exemplo, é possível economizar água trocando torneiras que gotejam ou reduzir o gasto de energia abrindo menos vezes a porta da geladeira. São detalhes como esses que fazem a diferença na conta no final do mês!

Vamos te apresentar algumas dicas práticas de como economizar tanto na conta de luz quanto na conta de água, evitando, assim, o desperdício. Vamos lá!

Evite abrir e fechar a geladeira ou freezer o tempo inteiro

Ficar abrindo a porta dos eletrodomésticos que precisam resfriar os alimentos é uma forma de desperdiçar energia. A cada vez que a porta é aberta, o calor do ambiente externo entra, e o motor precisa trabalhar mais para manter a temperatura adequada.

Mas como resolver isso? É simples: na hora de cozinhar, faça uma lista de tudo o que vai precisar e abra a geladeira uma única vez, pegando logo todos os ingredientes necessários.

Colete a água das chuvas

A água da chuva é algo muito valioso se você está querendo reduzir o valor da conta de água no final do mês. Ela é excelente para limpar o chão e algumas partes do estabelecimento que exigem uma quantidade maior desse líquido, como o banheiro.

Além de reaproveitar a água da chuva para fazer a limpeza do restaurante, você ajuda a preservar o meio ambiente!

Aproveite a luz natural

Uma boa forma de economizar energia é aproveitar a luz do dia. Para isso, é recomendado ter muitas janelas voltadas para o sol nascente para “pegar” a luz da manhã, e também para o sol poente e aproveitar a luz da tarde.

Pode ser que, ainda assim, você precise de lâmpadas, mas estas serão numa quantidade bem menor!

Fique de olho no gotejamento

Instalar a torneira da forma correta e trocá-la quando está provocando gotejamento é uma das coisas essenciais a se fazer quando o assunto é economia de água. Pode não parecer, mas o gotejamento pode pesar e muito no bolso: são 1.500 litros de água indo pelo ralo todos os meses.

Cano furado também pode fazer o dinheiro descer pelo ralo. Um furo de apenas 1 milímetro pode fazer um belo estrago e fazer você pagar por 62.000 litros de água (que nem foi utilizada!) por mês. Além de ser péssimo para os negócios, também prejudica o meio ambiente.

Faça a manutenção na frequência de tempo correta

A manutenção de equipamentos é uma das coisas mais importantes que devem ser feitas se você quer economizar água e energia. Por exemplo, a vedação dos aparelhos de refrigeração precisam estar em ótimas condições, já que isso mantém o isolamento térmico e os alimentos na temperatura ideal. Uma borracha estragada pode causar diversos prejuízos, como a perda de alimentos e maior consumo de energia.

Outra coisa que dificulta a refrigeração dos alimentos é forrar as grades das prateleiras da geladeira. Isso atrapalha a circulação do ar frio e, assim, o motor consome mais energia para manter a temperatura adequada.

Limpar frequentemente o condensador e escolher pontos estratégicos — longe do calor do sol — para instalar o freezer e a geladeira também devem ser priorizados.

Você conhece outras dicas de como fazer uma boa gestão de restaurantes ou como economizar água e energia? Deixe um comentário e conte para a gente!