Biometria não funciona, o que fazer?

Erro de leitura no momento da biometria. Quem nunca enfrentou esse problema tão recorrente? Afinal de contas, estamos falando de máquinas que, a qualquer momento podem sim apresentar algum tipo de defeito. É claro que, dependendo do fornecedor, algumas mais que outras.

Porém, existem outros motivos para as falhas além desse. Pode ser por conta de uma configuração feita de maneira errada ou mesmo por conta do próprio usuário. Por exemplo, em locais nos quais os funcionários trabalham com produtos químicos, é comum a biometria apresentar problemas.

Como resolver quando a biometria não funciona?

Vamos agora passar algumas dicas do que pode ser feito nesse tipo de situação e quais cuidados devem ser tomados.

Escolha o dedo mais adequado

Algumas pessoas acreditem que a biometria deve funcionar perfeitamente em qualquer dedo. De fato, qualquer dedo cadastrado tem a impressão digital, mas existem alguns que conseguem oferecer melhor adaptação ao equipamento.

Por exemplo, o polegar deve ser evitado por conta da área de contato que pode ser maior que a do leitor. O dedo mínimo também não é indicado por conta da sua área muito pequena e boa parte do leitor não tem contato com a impressão.

Por conta disso, as melhores opções são os dedos indicador, anular e médio.

Remova suor e outras substâncias

Você está bebendo uma garrafa de água gelada e a ponta dos dedos ficaram umedecidas. Naturalmente, ao usar algum tipo de biometria, a sua digital não será identificada por conta dessa barreira líquida que se forma na região. Isso acontece com qualquer pessoa, portanto, verifique com o funcionário e tenha sempre um lenço de papel próximo para ajudar nessas situações.

Além de água, qualquer outro tipo de substância como suor, poeira, produtos químicos e cosméticos podem impedir que a leitura da digital seja feita sem falhas.

Analise a idade

Sabia que, com o passar dos anos, a nossa impressão digital se desgasta e já não é a mesma de antes? Sendo assim, os idosos podem apresentar alguns problemas na leitura biométrica, mas isso não é uma regra. Isso pode acontecer, mas o tipo de profissão que a pessoa exerceu durante a vida é um fator que deve ser considerado.

Por exemplo, pessoas que faziam faxina, lavavam roupa, trabalhavam na terra, na construção civil e em outros locais do tipo, podem ter, com o passar do tempo, a estrutura da digital comprometida.

Preste atenção na hora de cadastrar

Antes de cadastrar o usuário, tenha a certeza de que a configuração do aparelho está correta e dentro do que é indicado. A partir disso, tenha cuidado no momento de realizar o cadastramento biométrico. Assim, verifique também se já não há um cadastro daquela pessoa no banco de dados. Cadastrar mais de um dedo pode causar problemas de identificação.

Use outras tecnologias

Existem diversas outras opções de tecnologias que podem substituir o cadastramento biométrico e oferecer mais agilidade e menos problemas como os citados acima. Você pode fazer o controle de ponto ou de acesso em qualquer tipo de negócio no qual atue e que precise desse tipo de equipamento funcionando da melhor forma possível.

Por exemplo, usar uma solução que possa identificar o usuário pela leitura de um cartão é uma excelente solução para os problemas de biometria. Você pode, inclusive, usar um equipamento que ofereça as duas formas de controle.

Quer saber mais sobre esses equipamentos? Então acesse as nossas soluções!

Nossos Produtos

Veja mais sobre o crescimento da tecnologia biométrica no país!

Até poucas décadas atrás, a tecnologia biométrica era apenas especulação em filmes de ficção científica, lembra? Pois bem, atualmente a biometria é algo comum no dia a dia das pessoas e das empresas.

Saiba, nesse post, como a tecnologia biométrica está impactando no uso doméstico e corporativo, atendendo a demandas por mais segurança física e digital, além de possibilitar o gerenciamento de espaços de forma mais eficiente.

Entenda o crescimento dessa tecnologia

Segundo a 6WResearch, empresa que realiza pesquisas sobre mercados digitais, a tecnologia biométrica vai, até o fim desta década, arrecadar 21,9 bilhões de dólares no mercado mundial.

Em nosso país, essa tendência é também perceptível, uma vez que a verificação biométrica está presente nos mais diversos setores por aqui, de agências bancárias a instituições de ensino, além de estar sendo implantada nas urnas eletrônicas para as próximas eleições.

Conheça as principais aplicações da tecnologia biométrica

Nas áreas de segurança, de saúde, tanto quanto nas governamentais, finanças e varejo, a biometria já se faz presente por meio da análise de digitais, da voz, da íris do olho ou da face, entre alguns outros meios para autenticação de usuários. Além disso, atualmente, a biometria também tem aplicações para análise e autenticação de assinaturas.

Na identificação física de usuários, o controle biométrico libera ou restringe acessos às catracas e portarias eletrônicas, sistemas de segurança integrados de condomínios, empresas, coworkings e órgãos governamentais.

Já no ambiente digital, a verificação biométrica é usada em sistemas de reconhecimento de voz em diversas aplicações. Assim, é possível abrir contas de e-mail e ter acesso a dados pessoas em contas na nuvem sem ter que memorizar senhas.

Grande parte dos estados brasileiros estão realizando o recadastramento biométrico dos eleitores para que as eleições de 2018, para presidente, governadores, senadores e deputados (federais e estaduais) possa contar com o recurso da verificação biométrica. Assim, os eleitores serão identificados pela impressão digital no ato da votação nas urnas eletrônicas.

Outra aplicação interessante é a veicular. Algumas fabricantes têm lançado modelos de automóveis mais modernos fabricados com sistemas de verificação biométrica na ignição e nas fechaduras.

Dessa forma, somente o dono ou outro usuário autorizado poderão dar partida no motor ou destravar as portas, sem a necessidade do uso das chaves.

Entenda suas principais vantagens para usuários e empresas

A maior vantagem para as empresas é a desburocratização do processo de identificação de pessoas, que fica muito mais ágil e dinâmico. A tendência é que muito em breve a memorização de senhas de usuário seja algo que caia em desuso por conta da tecnologia biométrica.

Essas tecnologias podem prover maior segurança não apenas para o controle físico dos acessos, mas também de transações e de dados digitais. Trata-se de uma ferramenta extremamente útil para o combate às fraudes e falsificação de documentos.

Por enquanto, ainda temos que usar chaves, cartões e documentos diversos, mas, ao que tudo indica, em um futuro não muito distante, a tecnologia biométrica permitirá que carreguemos nossas identificações em nosso próprio corpo.

Viu como a tecnologia biométrica está em ascensão atualmente? Lembrou-se de outros exemplos de aplicações práticas para essa tecnologia? Então não deixe de comentar e compartilhar conosco e com nossos leitores sua opinião sobre o assunto ou suas experiências pessoais com essa tecnologia!

Tecnologia LFD: como ela está revolucionando o mercado biométrico?

A tecnologia evoluiu muito nas últimas décadas e trouxe consigo várias inovações que foram, aos poucos, se tornando cada vez mais presentes no nosso dia a dia. Um exemplo disso é a biometria.

Se há algumas décadas ela estava presente apenas nos filmes de ficção, hoje está presente na portaria de condomínios e empresas, nos caixas eletrônicos dos bancos, na tela de smartphones, no controle de ponto digital e em vários outros lugares e situações em que é preciso comprovar nossa identidade.

Entretanto, uma situação muito comum nos filmes de ficção científica começou a mexer com a cabeça dos profissionais que trabalhavam em empresas de segurança: a clássica cena em que uma pessoa que não tem acesso a determinado local decide utilizar um dedo avulso para abrir as portas.

Essa ideia de que a segurança da biometria pode ser burlada pareceu tão séria que as empresas que trabalham na área buscaram uma forma de remediar o problema — e conseguiram!

Essa solução criada se chama tecnologia LFD (ou Live Finger Detection) e representa mais uma grande inovação no mercado biométrico. Você já ouviu falar nessa tecnologia? Não? Então continue a leitura para saber o que ela é e como ela vem revolucionando o mercado da biometria!

O que é a tecnologia LFD?

A tecnologia LFD surgiu como uma solução para tornar a biometria muito mais segura. Sua invenção é creditada à empresa alemã Dermalog Identification Systems, que criou um método para que os leitores biométricos fossem capazes de diferenciar o tecido vivo do tecido morto.

Isso impede que aquela situação vista nos filmes de ficção científica um dia ocorra na vida real. O método desenvolvido é capaz de detectar as mudanças na forma como a luz é absorvida quando o dedo é pressionado contra o leitor de impressão digital.

Com a criação do sistema de segurança com tecnologia LFD, é possível proteger-se não apenas contra criminosos que “roubam” dedos para burlar a biometria, mas também impedir que sejam usadas outras alternativas — como moldes de dedos ou cópias de silicone.

Para algumas pessoas tudo isso pode até parecer um pouco exagerado ou até mesmo fruto de uma mente um tanto quanto neurótica. No entanto, acredite: já foram registrados casos de roubos de veículos, no ano de 2005, nos quais os criminosos utilizaram o dedo decepado da vítima para conseguir o acesso ao carro.

Mais um caso onde o sistema biométrico foi burlado com dedos falsos ocorreu também aqui no Brasil, na cidade de Ferraz de Vasconcelos, em São Paulo. Em 2013, uma médica do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi detida portando dedos de silicone que eram utilizados para bater o ponto de colegas de trabalho. Veja a matéria completa aqui.

O esquema envolvia mais de 30 profissionais entre médicos e enfermeiros. Isso ajuda a desmistificar a ideia de que a biometria é absolutamente segura sem o auxílio da tecnologia LFD, certo?

Qual é o diferencial da tecnologia LFD?

O grande diferencial dessa tecnologia para a biometria é que os scanners de impressão digital equipados com o Live Finger Detection podem detectar impressões digitais vivas e evitar qualquer fraude relacionada às impressões falsas feitas de materiais de silicone ou de borracha.

A tecnologia LFD utiliza-se de informações como pressão arterial, temperatura, pulso, resistência elétrica e outras para saber se a impressão digital escaneada pertence a um corpo vivo.

A tecnologia padrão de detecção de impressão digital que utilizamos atualmente verifica apenas fatores como a deformação da digital, a distribuição dos poros e a nitidez do cume.

A única pequena desvantagem que a tecnologia Live Finger Detection apresenta é que seu uso pode exigir um pouco mais de atenção — é preciso que o usuário posicione seu dedo no leitor com o máximo de precisão que conseguir para que o scanner funcione corretamente.

Se o dedo não for colocado no leitor com precisão, ele pode ser rejeitado por não ser reconhecido como um dedo humano vivo. Quando isso acontece, basta tirar o dedo e colocá-lo novamente. Após vários testes, é fácil se acostumar com isso.

Algumas pessoas podem considerar a função LFD um tanto quanto inconveniente no início. No entanto, logo é possível notar que o aumento na segurança compensa todos os esforços.

Em suma, portanto, a verdade é que a tecnologia LFD vem apresentando um grande diferencial para os sistemas de segurança, tornando-os muito mais eficazes, prevenindo as possibilidades de fraude e tornando o sistema muito mais seguro para o usuário.

Como a tecnologia LFD está revolucionando o mercado biométrico?

A tecnologia Live Finger Detection é uma realidade que, inclusive, já pode ser experimentada por muitas pessoas. O iPhone 5S, por exemplo, que conta com um sensor Touch ID na tela, é adepto da novidade — ela torna os aparelhos da Apple ainda mais seguros para os seus usuários.

A ideia de implementar essa tecnologia no iPhone 5S não foi apenas por uma questão de segurança, mas também para trazer mais facilidade para a vida de seus utilizadores. Afinal, quem nunca se complicou na hora de digitar a senha na tela para desbloqueio ou para fazer compras de aplicativos e bens de consumo pelo celular?

Com essa tecnologia, você não precisa mais se preocupar em memorizar senhas ou correr o risco de que descubram a sua chave de acesso. Somente você, com a sua digital, poderá desbloquear o aparelho e liberar as compras pelo celular. Simples, não?

O mesmo vale no seu banco, por exemplo. Você não se sente mais seguro sabendo que somente você é capaz de acessar sua conta e realizar transações por meio da biometria? Pois então! Essa é mais uma prova de que a tecnologia LFD chegou para aumentar a segurança e tornar todo o mercado biométrico muito mais eficiente!

Clique aqui para receber o descritivo completo sobre nosso Relógio de Ponto Eletrônico!

Ponto Biométrico: por que utilizar no controle dos funcionários?

Fazer o controle de horário dos funcionários de sua empresa é importante, não só com relação à hora de entrada, de saída e de intervalo, mas também para o controle das horas extras. Por isso, confira agora como é essencial ter o controle biométrico para o fim de controle de horários de entrada e saída de funcionários na sua empresa!

Como funciona o ponto biométrico?

O ponto biométrico é um relógio de ponto que serve para contabilizar os horários dos funcionários e oferecer segurança para a empresa, já que utiliza uma característica exclusiva de cada pessoa, como a digital do dedo ou da mão toda, a voz ou a íris dos olhos. A impressão digital, no entanto, é o método mais comum, mais acessível e extremamente eficaz para a identificação.

O ponto biométrico é instalado na empresa e é feito o registro das digitais das pessoas que terão acesso aos locais. O registro conta também com o nome do utilizador, permitindo que o funcionário seja identificado pelo nome cada vez que utilizar o ponto.

Quais as vantagens oferecidas pela utilização do ponto biométrico?

  • Confiabilidade: por se tratar de um controle biométrico — ou seja, que depende da digital de cada funcionário, uma característica física que é exclusiva de cada um —, as chances de fraudes e burlas chegam a ser praticamente nulas, isto é, trata-se de um método 100% confiável!

  • Custo/benefício: por se tratar de um método extremamente eficaz e confiável de segurança, vale muito a pena investir na utilização de pontos biométricos na sua empresa. Além disso, o preço é bem justo, tendo-se tornado acessível tantoaté para as micro/pequenas empresas, podendo ser utilizado tanto em portas como em cancelas e catracas.

  • Facilidade para a empresa: o aparelho tem uso extremamente simples e é de fácil instalação, não necessitando estar conectado a computadores, por exemplo. As marcações de ponto podem ser controladas por meio de arquivos de texto que são configurados pelo usuário através de um software muito prático que permite a coleta de informações a partir do próprio aparelho, impresso ou a partir de um pendrive utilizando a entrada USB.

  • Cumprimento das leis trabalhistas: hoje em dia, é obrigatório por lei que as empresas utilizem pontos eletrônicos para controlar entradas, saídas, intervalos e horas extras de seus funcionários. Uma solução que oferece muita rapidez, confiança e praticidade para as empresas!

  • Diminuição de custos: se a sua empresa optar por crachás com códigos de barra, por exemplo, de tempos em tempos terá de arcar com os custos de produção de crachás ou cartões magnéticos, que, dependendo da quantidade de funcionários, podem ser altos. Além disso, existem os casos de perda e extravio de crachás e cartões magnéticos, que podem ser perfeitamente evitados com a utilização do ponto biométrico.

  • Integração: é possível integrar o ponto biométrico com outros sistemas da empresa para ter melhor controle sobre entrada e saída de funcionários, controle de faltas, bem como o cálculo de suas horas extras, por exemplo. Se o ponto estiver integrado com o sistema utilizado no RH da empresa e ao setor contábil, por exemplo, torna-se muito mais fácil para ambos fazerem o cálculo de horas dos funcionários, emitir as folhas de pagamento, tornando praticamente nulas as possibilidades de erro humano.

Conheça o Relógio de Ponto Biométrico mais rápido, eficiente e a prova de fraudes!

Então, que tal adotar o uso do ponto biométrico em sua empresa também?


Afinal, o que é biometria?

Com certeza, você já ouviu falar na biometria como um dos métodos mais seguros de identificação de pessoas, não é verdade? O mecanismo já é adotado por diversos estabelecimentos que necessitam cada vez mais de precisão no reconhecimento dos indivíduos, como agências bancárias, autoescolas, academias, bem como as empresas que pretendam estabelecer o controle de ponto eficiente de seus funcionários.  Leia o post a seguir e saiba mais sobre o tema.

O que é biometria?

A biometria é um estudo das características biológicas e comportamentais de cada pessoa, onde o corpo funciona como uma senha. Trata-se de uma medição conforme sugere a palavra: bio (vida) + metria (medida).

Cada pessoa é única e apresenta características singulares e, por essa razão, o sistema biométrico é utilizado para o reconhecimento de indivíduos, acesso a lugares restritos ou a dados e aparelhos, e até mesmo para identificação criminal, de forma segura e eficiente. Contudo, nos dias atuais, esses sistemas são utilizados rotineiramente, principalmente por grandes empresas.

Como funciona?

O processo de identificação de um sistema biométrico é relativamente simples e tem como principais componentes a captura, a extração e a comparação de imagens. No entanto, para que o sistema funcione corretamente é necessário o auxílio de algumas ferramentas, como um computador, um scanner ou sensor para captar as imagens nítidas e em alta resolução e um software capaz de analisar as imagens captadas e comparar com as informações contidas nas bases de dados para, então, indentificar a pessoa.

Conheça os diferentes tipos de biometria física

Existem alguns sistemas de leitura biométrica disponíveis, uns mais eficientes outros menos, mas cada um consegue detectar características físicas únicas de cada pessoa que servem como senhas para controle de acesso ou reconhecimento de indivíduos. Veja os exemplos a seguir.

Impressão digital – esse é um dos sistemas de identificação biométrica mais comuns, o leitor capta as linhas da impressão digital e compara com a informação no banco de dados.

Retina – a retina é uma característica imutável, e esse sistema costuma ser utilizado em sistemas de alta segurança, já que analisa a formação dos vasos sanguíneos no fundo dos olhos que estão relacionados com os sinais vitais de uma pessoa.

Geometria da mão – é um método bastante utilizado, principalmente devido a sua agilidade, para analise  da estrutura, tamanho e posição da palma da mão da pessoa, portanto, um meio menos seguro e eficaz que a impressão digital.

Reconhecimento de voz – por não se tratar de uma característica física imutável, afinal, as pessoas passam por alterações na estrutura oral, esse mecanismo pode ser falho. A analise leva em conta a gravidade, sonoridade e sinais agudos da voz.

Identificação facial – nesse caso, a identificação ocorre através da leitura dos traços do rosto do indivíduo. Devido ao seu alto custo e baixa confiabilidade, é um dos recursos menos utilizados.

E você, esclareceu suas curiosidades sobre o que é a biometria? Conhece algum outro tipo de biometria física interessante para compartilhar com a gente? Então, participe! Deixe seu comentário.