Controlar o acesso escolar

3 erros ao controlar o acesso escolar que você não pode cometer

A segurança é um dos principais fatores que são analisados pelos pais na hora de escolher uma escola para seus filhos. Por esse motivo, a maioria das instituições de ensino apresenta uma norma interna rígida quanto à contratação de funcionários e dos prestadores de serviços terceirizados, mas falham no controle do acesso escolar de visitantes, por exemplo.

Pensando nisso, listamos 3 dos principais erros que uma instituição pode cometer ao controlar o acesso escolar. Fique atento!

1. Não controlar o acesso escolar

Fornecedores de materiais, visitantes, estudantes ou qualquer pessoa que entre em uma escola deve ser devidamente registrada, assegurando a rotina de estudos das crianças ou dos adolescentes.

A utilização de controladores de acesso pode auxiliar de forma crucial a suprir esta necessidade das escolas, pois, através dele, é possível automatizar, por exemplo, o sistema de chamada, em que o aluno marca sua presença por meio do escaneamento biométrico de sua digital.

Este tipo de controle permitiu uma redução de 85% da taxa de faltas na escola Roberto Mauro Santini em Praia Grande (São Paulo).

IKAcesso Escola – Conheça o software de controle de acesso para instituições de ensino!

2. Permitir a livre circulação de pessoas

O sistema de liberação biométrica pode ser adotado para controle de frequência de funcionários e de alunos, para o controle de acesso a áreas específicas onde a circulação deve ser restrita, como a cozinha e salas de documentos, entre outros, além de oferecer segurança à própria escola, pois qualquer coisa que aconteça dentro do estabelecimento educacional é de responsabilidade da escola.

Atualmente, existem equipamentos que trabalham de forma integrada e que podem além de controlar a frequência, emitir relatórios específicos, como o tempo de permanência de um visitante, a fotografia dele, quem acessou uma área restrita e a que horas, quem passou e quantos foram em um determinado período de tempo e controle de reentrada de alunos, sendo tudo isso emitido em formato de relatórios estatísticos.

3. Utilizar sistemas tradicionais

Muitas escolas fazem este controle por meio de sistemas tradicionais, como a utilização de carimbos, de carteirinhas ou de marcação manual. Existem algumas desvantagens nestes sistemas, como: a perda, o esquecimento ou o dano do cartão de controle, a pouca resistência à umidade, o que pode borrar o carimbo ou a foto na carteirinha que podem ser facilmente copiadas, entre outros fatores que podem interferir nestes tipos de sistema de controle, além de desprender um trabalho muito grande para a sua análise e para o controle.

Estes sistemas tradicionais funcionam? Sim, mas, caso ocorra alguma das problemáticas citadas acima, sua eficiência será drasticamente reduzida, ocasionando incidentes desagradáveis.

Então, vamos agregar valor à sua instituição?

Ao utilizar um sistema integrado de controle de acesso escolar biométrico em seu estabelecimento de ensino, você está agregando valor ao seu serviço, oferecendo controle maior sobre as questões de segurança, passando credibilidade aos pais e, também aos funcionários da escola, além de possibilitar a redução de custos com materiais utilizados em sistemas tradicionais de controle de acesso, que são mais trabalhosos e manos eficazes.

Se interessou pelo assunto de acesso escolar e gostaria de saber mais? Clique aqui e baixe o e-book: Problemas com frequência escolar?, e tenha acesso a mais conteúdos relacionados ao controle de entrada e saída de alunos, à legislação, a um panorama geral sobre a crise e sobre as escolas, além de outras dicas de segurança.

Nossos Produtos