Formas de evitar furto no meu local de trabalho

A violência é um dos principais problemas enfrentados pelos brasileiros, especialmente para aqueles que são donos de comércios e diversos tipos de empresas. De acordo com levantamentos, mais de 20% da população com mais de 16 anos já sofreu algum tipo de violência como roubo, furto ou assalto. E, para as empresas, evitar furto pode ser ainda mais complicado.

Infelizmente, o responsável pelo crime pode estar dentro da própria empresa. E, sem provas, fica impossível acusar qualquer pessoa, por mais que todos saibam ou, ao menos, desconfie quem foi o autor do crime.

Para acabar com esse problema, melhor do que encontrar meios de provar é evitar que o problema aconteça. Sendo assim, usando algumas boas estratégias, você consegue estar um passo à frente.

Como evitar furto interno no trabalho

Há muitos funcionários que são de total confiança, mas, infelizmente, não podemos confiar em todos. Algumas pessoas já entram no serviço mal intencionadas, por isso, é muito importante ter vigilância interna. Nesse caso, a principal solução são as câmeras. Elas podem ser integradas a um monitor para a sala de segurança ou ao seu próprio smartphone.

Além de inibir os furtos internos e diversos outros problemas, você também consegue ajudar a polícia com as imagens caso alguém invada o seu prédio.

Outra boa solução, é usar controle biométrico em determinados locais da empresa. Por exemplo, no estoque, onde há objetos que podem ser furtados facilmente ou mesmo na sala há um cofre.

Como evitar furto externo no local de trabalho

Uma maneira excelente de evitar furto de pessoas de fora do ambiente de trabalho é restringir o acesso. Isso pode ser feito com excelentes tecnologias que, ao serem implantadas, conseguem inibir os bandidos, pois sabem que a entrada no local é mais difícil do que pensaram. Veja quais são essas opções.

Controle de acesso

O controle de acesso permite que, de acordo com dados cadastrados no software, apenas pessoas autorizadas tenham acesso a determinados lugares. Essa tecnologia pode ser instalada tanto em determinados setores quanto na entrada principal da sua empresa. Esse controle de acesso pode ser feito de 3 maneiras:

leitura de impressão digital;

leitor de cartões;

leitor de cartões combinado com impressão digital.

Essa última opção é extremamente segura, afinal de contas, quanto mais barreiras de proteção, mais difícil fica de entrar no local.

Catracas

As catracas são excelentes opções para locais com um grande fluxo de pessoas como condomínios e indústrias. Ao mesmo tempo que conseguem oferecer maior praticidade, também sabem oferecer a proteção necessária para o local. Você ainda pode escolher se quer uma catraca com leitor biométrico ou com leitor de cartões.

Caso seja por leitura de cartão, você não precisará se preocupar em alguém fazer cópias dele. O software instalado identifica no exato momento o matéria inválido. Para academias, também é uma ótima opção já que o sistema pode apontar quando a mensalidade do aluno já está vencida.

As catracas e o controle de acesso são ótimas maneiras de proteger não só o seu negócio, mas todas as pessoas que estão no ambiente. Essa tecnologia age de forma preventiva, a melhor forma de evitar problemas.

Quer saber mais sobre como evitar furto usando essas soluções? Então, entre em contato com a gente!

5 dicas para analisar um currículo do jeito certo

Escolher as pessoas que farão parte da empresa é uma grande responsabilidade. Colocar alguém em um setor pode tanto aumentar o desempenho de todos, quanto atrasar o trabalho dos colegas e isso tem impacto direto nos números da empresa. Portanto, é muito importante analisar um currículo da maneira certa.

E como seria isso? Bom, existem algumas técnicas que podem ser utilizadas na hora de fazer a análise de um currículo.

Vamos agora listar as principais dicas que o ajudarão a analisar um currículo da melhor maneira possível.

1. Determine quais são as prioridades

Quais são os pontos fundamentais sobre o perfil do novo contratado que atenderão às prioridades da empresa?

Se a contratação é para colocar um funcionário no lugar de outro, pense porque aquele que estava antes foi demitido ou porque ele pediu demissão. É importante identificar esses pontos antes de contratar alguém.

Dentre as características do novo colaborador, quais não podem deixar de existir? Ele precisa ser muito organizado? Ter espírito de trabalho em equipe? Saber falar inglês de maneira fluente? Isso o ajudará a fazer uma boa triagem dos currículos e assim, reduzir o trabalho.

2. Saiba de forma clara o perfil da vaga

De nada adianta procurar se você não sabe o que certo o que deseja encontrar. Portanto, antes de parar para analisar os currículos, saiba exatamente o que deseja para alguém que ocupará a vaga em questão.

Além dos requisitos básicos, pense em pontos mais específicos. Por exemplo, digamos que você esteja contratando um porteiro para o seu condomínio. Pode ser que você deseje alguém que tenha, pelo menos, 3 anos de experiência no cargo, que tenha feito um curso determinado e assim por diante.

3. Não seja precipitado

Faça uma análise cuidadosa antes de escolher, definitivamente, os currículos para a entrevista. Ainda que o candidato tenha as qualificações técnicas e teóricas, uma pesquisa mais criteriosa pode mostrar falhas importantes. Por exemplo, alguém que muda constantemente de emprego ou função dentro da empresa pode apresentar algum problema de comportamento ou mesmo dificuldade em trabalhar com a equipe. Erros de português também contam, isso pode demonstrar que a pessoa não teve tanto cuidado ao enviar o currículo. Esse tipo de situação pode se repetir dentro do trabalho.

4. Confira o salário pretendido

Algumas empresas pedem que, no currículo, o candidato mande a sua pretensão salarial. Essa é uma boa forma de selecionar aqueles candidatos que costumam entregar currículos apenas pela remuneração.

Por exemplo, se a sua empresa está oferecendo um salário acima da média, é bem provável que apareçam diversos currículos e muitos sem a qualificação necessária. E, quando a empresa pede a pretensão salarial é uma maneira de descartar aqueles candidatos que esperam muito mais do que vocês podem pagar.

5. Analise o nível do idioma

Sabemos que, cada vez mais, saber um outro idioma é fundamental, especialmente em alguns casos.

Por exemplo, se a sua empresa já faz negócios com o exterior ou pretende fazer, colocar como pré-requisito saber inglês, ao menos em um nível intermediário é fundamental. Nesse caso, ao analisar um currículo, um diferencial pode ser aquele candidato que fez o curso de idiomas voltado para o ambiente empresarial.

Quer receber outras dicas como essas que podem ajudá-lo no seu dia a dia? Então, assine a nossa newsletter!

Conheça o CAGED e qual a função dele

Você já ouviu falar em uma sigla chamada CAGED? A sigla significa Cadastro Geral de Empregados e Desempregados e foi instituído pela LEI 4.923 de 1965. Para sermos ainda mais claros, esse cadastro está relacionado ao fluxo de pessoas que são demitidas e admitidas no mercado e trabalho.

É uma forma que o governo tem para avaliar não só a taxa de desemprego no país, mas também a economia. Afinal de contas, quanto maior o índice de desemprego, menos dinheiro estará circulando no mercado, o que, por sua vez, encarece os produtos.

Mas como o CAGED impacta a sua empresa? Como ele funciona? De que forma a minha empresa pode ajudar a manter os dados atualizados? Responderemos agora a essas e a outras perguntas relacionadas!

O que é o CAGED?

O CAGED é um registro realizado pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social. Como já foi dito, ele ajuda a medir a quantidade de contratações e demissões no CLT dentro de um período.

Dentro dessa base de dados, é necessário que se tenha o nome não só dos empregados como também o da empresa. As informações de admissão e demissão também precisam estar incluídas. Todas as empresas que possuem funcionários regidos pelo regime da CLT são obrigadas a cadastrar os dados dessa movimentação no CAGED.

Quais os tipos de registro?

Para realizar o registro desses dados, você deve fazer isso por meio do CAGED diário ou mensal.

No diário, você deve registrar as datas em que foram realizadas a demissão e a admissão dos funcionários. Qualquer alteração no quadro deve ser informada até o sétimo dia do mês contados a partir da ocorrência. No momento da admissão, o empregador deve analisar se o indivíduo está recebendo ou não o seguro desemprego.

Já o CAGED mensal reúne todas as movimentações realizadas dentro de um mês no quadro de funcionários.

Todas essas informações devem ser transmitidas de forma eletrônica por meio do site ou do aplicativo da instituição.

Quais colaboradores precisam ser declarados?

Na hora de enviar os dados ao CAGED, é preciso declarar não só as pessoas físicas contratadas em regime celetista, mas também as pessoas jurídicas. Não importa se a contratação foi feita por prazo determinado ou não, a declaração precisa ser feita. Trabalhadores rurais e jovens aprendizes também entram nessa lista.

Muitos são os trabalhadores que não precisam ser declarados, por exemplo, servidor público, empregado doméstico, estagiários, trabalhador autônomo, pessoas contratadas por período determinado em caráter excepcional, entre outras.

Quais são os prazos para a entrega do CAGED?

O prazo de entrega depende muito da situação do empregado. Por exemplo, se ele ainda está recebendo seguro desemprego ou já tenha feito o requerimento, o CAGED deve ser enviado no momento da admissão (esse é o CAGED Diário).

Caso o empregado não tenha dado a entrada no seguro desemprego ou não esteja recebendo, o prazo é de até 7 dias do mês subsequente após a movimentação.

Caso a empresa não faça o CAGED, o que acontece?

Como informado aqui, o envio do CAGED é obrigatório e, portanto, quando não é realizado, gera multa para a empresa. O valor é de ? do salário mínimo da cidade, mas o valor total também varia de acordo com o tempo de atraso e a quantidade de dados que não foram informados.

Agora que você já sabe o que é o CAGED e a importância que ele tem, não deixe para enviar as informações de última hora. Evite custos desnecessários para sua empresa.

Projeto para controle de ponto

Veja também o que fazer quando um funcionário chegar atrasado ao ambiente de trabalho e como evitar maiores problemas nesse caso!

Veja 3 recomendações antes de montar academia

Montar academia tem se tornado um negócio cada vez mais atrativo. As pessoas não estão indo mais para as academias apenas em busca de um corpo perfeito. Atualmente, elas buscam, acima de tudo, uma vida saudável. De acordo com pesquisas feitas pela ACAD (Associação Brasileira de Academias), só no Brasil, esse nicho movimenta cerca de US$ 2,5 bilhões e a tendência é de crescimento.

É um fato que abrir uma academia é um excelente negócio, mas que exige muito planejamento, especialmente financeiro. Você precisa contratar um bom vendedor para trabalhar na recepção do local, como vai controlar a saída e entrada dos alunos e como evitar que eles usem os serviços quando estão inadimplentes.

Quer uma mãozinha? Então, veja abaixo as 3 principais recomendações que você deve seguir para montar uma academia e evitar prejuízos!

1. Planeje

Esse é o ponto de partida para todo e qualquer negócio. Você precisa traçar um caminho para saber como alcançará o seu objetivo. Dentro desse planejamento, deve também criar metas. Por exemplo, em quanto tempo encontrar um local para montar uma academia, quantos funcionários precisará contratar, em quanto tempo começará a funcionar, entre outras.

Outro passo estratégico no planejamento é investir um pouco em pesquisas. É importante coletar informações sobre a concorrência, o melhor local para abrir o seu negócio, do que as pessoas sentem falta nas academias que já existem (algo que pode ser o seu diferencial), entre outras.

2. Faça a gestão financeira

Esse é o tipo de gestão que começa logo no primeiro momento em que você decide montar uma academia. Se você vai pedir um empréstimo, precisa pesquisar muito para não perder dinheiro com os juros. Lembre-se que existem alguns equipamentos básicos e que não podem faltar como peitoral dorsal, leg press, halteres, aparelhos de som, barras e vários outros.

Assim, para pedir o empréstimo, você precisará ter um valor preciso em mãos de quanto vai precisar para fazer a sua academia funcionar. Não se esqueça dos encargos trabalhistas dos funcionários, das taxas para manter o local funcionando, entre diversas outras despesas que precisam estar no papel.

3. Pense na logística

Você precisará controlar a entrada e saída dos alunos e, é claro, manter o ambiente o mais seguro possível, evitando que qualquer pessoa entre no local sem a devida autorização. Nesse caso, um sistema muito utilizado nas academias são as catracas.

Com um leitor de digital, ela consegue identificar de forma imediata, quem é a pessoa, se está cadastrada como aluno ou como um funcionário. Se não é o caso, apenas o responsável que tem acesso ao sistema consegue destravar a catraca e liberar a passagem.

É uma ótima maneira de evitar que os alunos continuem frequentando a academia sem pagar a mensalidade. São muitos alunos e, por isso, é bom ter um sistema automatizado que lembre essas datas importantes. Dessa forma, assim que ele colocar a digital na catraca, ela trava, chamando a atenção do responsável ali presente.

Montar uma academia é algo que exige muita paciência e bastante planejamento. Tentar fazer isso de forma apressada é uma forma fácil de cometer erros e, consequentemente, perder dinheiro.

Projeto de Acesso

Veja também quais são as principais tecnologias em segurança para 2019 que você pode implementar no seu negócio!

Como controlar refeição dos meus funcionários

Em alguns lugares como hospitais, fábricas e estabelecimentos com um grande número de funcionários, possuem um refeitório. É nesse local que os empregados fazem o almoço e, para aqueles que dão plantão, também é o ambiente do café da manhã e do jantar. O problema é controlar refeição pode ser complicado.

Como ter a certeza de que um funcionário já não almoçou? Esse controle é muito importante porque o que sobra para uns pode faltar para muitos outros. Além disso, pode causar discórdia entre os colegas e uma série de confusões.

Vamos agora falar um pouco sobre esse assunto, esclarecendo alguns pontos importantes e mostrar uma ótima maneira de não só solucionar o problema, mas também de evitá-lo.

Vale a pena ter um refeitório na empresa?

Algumas empresas optam pelo auxílio-alimentação, outras pelo refeitório. Mas, qual é a melhor opção? Uma das vantagens que um refeitório pode oferecer é maior comodidade para os funcionários, melhorando a qualidade de vida no ambiente de trabalho, especialmente para aqueles que moram mais distantes.

E as vantagens não são apenas para os funcionários. Os empregadores também ganham já que não há muitas chances de o empregado chegar atrasado para o turno após o almoço. Assim, o refeitório gera menos problemas para todas as partes.

O que a legislação diz a esse respeito?

De acordo com as leis trabalhistas, toda empresa com mais de 300 funcionários é obrigada a montar um refeitório no próprio estabelecimento. Sendo assim, os empregados devem se alimentar no local determinado pela empresa, ou seja, no refeitório.

Nos casos de estabelecimentos com menos de 300 funcionários, a presença ou não de um refeitório é opcional. Em casos de convenção coletiva também é possível chegar a um acordo para que os funcionários possam fazer suas refeições em outro local, sem a obrigatoriedade de um refeitório.

É muito importante que os empregadores se atentem para questões como limpeza, estrutura, higienização do local, número cadeiras e mesas, se há boa iluminação, se há espaço suficiente para que as pessoas possam circular normalmente.

Como controlar refeição?

Para as empresas que possuem um refeitório, essa pode ser uma tarefa bem difícil de ser cumprida. É necessário ter um sistema que faça o registro dos trabalhadores, entre outros detalhes. Veja abaixo algumas coisas que você deve fazer para evitar problemas nesse caso.

Faça um planejamento

É muito importante que, ao implantar um refeitório, exista um planejamento prévio. Por exemplo, você precisa ter capacidade e espaço suficiente para que todos os funcionários faça as refeições no mesmo horário. Se isso não for possível, uma boa solução é mudar o horário de almoço de alguns setores para que o fluxo de pessoas fique livre.

Conscientize os seus funcionários

Converse com os funcionários e explique a eles qual é a melhor forma de utilizarem o refeitório e sobre o controle que há na empresa sobre o assunto. Deixe-os devidamente avisados sobre como o sistema funcionará, quais os horários para fazer as refeições de cada setor e assim por diante.

Use um software

Existem excelentes softwares no mercado que conseguirão controlar refeição de forma muito mais prática. O IKREF, por exemplo, é uma ferramenta que vai lhe auxiliar a economizar evitando que o funcionário consuma mais de uma refeição.

Nesse software você poderá cadastrar todos os funcionários da sua empresa, os visitantes, os terceirizados, o prestador de serviços e também todas as refeições que a empresa serve: café da manhã, almoço, jantar, ceia e outros. Os valores podem ser estabelecidos para cada tipo de refeição.

Quer saber mais sobre como controlar refeição usando um software como esse? Então, veja como ele funciona!

A importância das catracas em condomínios residenciais

A segurança é algo que está cada vez mais difícil de conquistar na atualidade, especialmente nas grandes capitais. Uma pesquisa realizada em 2016 mostra que o número de assaltos no Brasil é o dobro da média mundial. Sendo assim, colocar catracas em condomínios residenciais se faz mais do que necessário. Isso evita que desconhecidos tenham acesso às casas dos moradores.

Além da segurança, outra vantagem é a organização que um sistema de catracas proporciona. É possível cadastrar todos os moradores e assim ter um maior controle sobre quem ainda está morando no condomínio, quem não está mais, quem são os novos moradores e assim por diante.

Veja mais sobre esse assunto e a grande importância de instalar esse tipo de equipamento nos condomínios residenciais.

O que é uma catraca biométrica?

A biometria é uma tecnologia que consegue identificar as pessoas por características únicas como a impressão digital (mais utilizada), a íris dos olhos, entre outras. Por conta disso, é considerada uma das formas mais seguras de identificação. Tanto é assim que, essa técnica é utilizada também em investigações criminais.

Como funciona o controle de acesso por meio da catraca biométrica?

O responsável pelo sistema deverá cadastrar todas as digitais dos moradores e pode também cadastrar os visitantes que são mais frequentes. Assim, quando alguém parente ou amigo mais próximo for fazer uma visita, não há a necessidade de avisar ao morador e manter a pessoa do lado de fora até obter uma resposta.

Dessa forma, é possível, por exemplo, montar um relatório com as entradas e saídas dos moradores, saber em quais horários eles costumam ter acesso ao local e quais são as pessoas me mais visitam. Essas informações são muito importantes, pois ajuda a identificar algum problema no caso de um comportamento fora do padrão.

Por que utilizar catracas em condomínios residenciais?

Como dissemos no início deste post, entre os maiores benefícios na utilização das catracas é a questão da segurança, não só dos moradores, mas também de todos os colaboradores. A questão da organização sobre as informações dos moradores e visitantes também é um ponto positivo.

Outro bom motivo para instalar uma catraca biométrica no condomínio é que ela consegue evitar a formação de filas, especialmente nos horários de pico. Não é necessário que o responsável pela portaria tenha que identificar cada um dos moradores. Com a catraca fica muito mais simples liberar o acesso e evitar assim maiores transtornos.

Quer melhorar a organização da administração do condomínio? Essa é outra vantagem que a identificação biométrica pode oferecer. Você pode instalar catracas em locais específicos para liberar apenas a entrada de pessoas autorizadas. Dessa forma, uma série de complicações pode ser evitada e o trabalho dos colaboradores fica mais fácil de ser realizado.

O uso de catracas em condomínios residenciais é uma ótima forma de agregar valor ao local, pois assim é possível proporcionar aos moradores uma maior tranquilidade devido à sensação de segurança. Escolha qual é o melhor tipo de catraca para as necessidades do seu condomínio.

Quer conhecer boas soluções de catraca para o seu condomínio? Então, acesse o nosso site e veja qual se encaixa melhor nas suas necessidades!

Site InfoKings

As principais tecnologias de segurança para 2019

A tecnologia avança a passos largos e consegue chegar aos mais diversos setores, oferecendo uma série de melhorias para todos. Por exemplo, atualmente, as portarias de diversos estabelecimentos como fábricas, escolas, empresas, condomínios e outros podem ficar mais seguras. As tecnologias de segurança são mais que necessárias na nossa realidade.

Antigamente, ter uma pessoa na portaria e câmeras eram o bastante. Mas muitas pessoas conseguem burlar esse tipo de proteção e invadem diversos locais, colocando em risco todos os que estão dentro deles.

Hoje, há diversas formas de ter um maior controle de quem entra e de quem sai de um determinado estabelecimento. Essas tecnologias de segurança são excelentes para qualquer ambiente, especialmente para aqueles em que há um grande fluxo de pessoas. Veja abaixo bons exemplos que podem ajudá-lo!

Cartões de proximidade

Por exemplo, os moradores de um condomínio podem receber um cartão de acesso para a entrada no prédio. Nele constam informações como alguns dados pessoais e o nível de acesso também pode ser estabelecido (excelente para empresas e indústrias). Basta aproximar o cartão de um leitor para liberar ou não a passagem.

É uma ótima opção para impedir o acesso de determinadas pessoas a certos locais restritos e também revogar o acesso de um morador a alguns locais. Por exemplo, o indivíduo era síndico e agora não é mais, portanto, perde acesso a alguns locais.

Senhas e controles especiais

O uso de senhas já é bastante utilizado nos mais diversos locais, aliás, foi um dos primeiros avanços tecnológicos para melhorar a segurança em diversos ambientes.

Esse tipo de acesso pode ser dado a apenas algumas pessoas dentro de um estabelecimento ou a todas, dependendo do programa utilizado. O próprio software pode gerar senhas para os mais diversos funcionários, moradores ou mesmo alunos de uma escola ou curso.

Videoporteiro IP

Pelo próprio nome não é difícil imaginar do que se trata. Nesse sistema de segurança, é preciso utilizar uma câmera embutida e, assim, cada morador do prédio ou funcionário de um estabelecimento pode identificar quem está do lado de fora. O acesso à imagem é feito por meio do smartphone e, usando o desvio de chamada, pode ser liberada ou não a entrada.

Portaria remota

É uma outra forma que a tecnologia encontrou para controlar o acesso aos mais diversos locais. Quem tem acesso ao estabelecimento, deve usar uma tag que tem como função liberar tanto a saída quanto a entrada deste. Os visitantes devem acionar o interfone para que seja ou não liberado o acesso.

Biometria

Outra tecnologia de segurança já bastante utilizada e que vem se aperfeiçoando a cada dia. O tipo mais comum é a biometria por impressão digital, oferecendo muito mais segurança, já que é um desenho único para cada pessoa. É praticamente impossível falsificar esse tipo de acesso. Além disso, oferece agilidade e rapidez, sendo excelente para grandes empresas e indústrias.

Investir em controle de acesso consegue trazer uma série de benefícios para quem utiliza esse recurso. Além disso, ajuda a reduzir os custos com a terceirização de uma empresa de segurança, por exemplo, é possível acompanhar o fluxo de pessoas em tempo real.

Está pensando em aumentar a segurança dentro da sua empresa? Monte já seu projeto com a Info Kings.

Solicite Orçamento

Entenda como funciona o controle de ronda passo a passo

A segurança é essencial para qualquer estabelecimento. Não apenas para guardar os bens materiais que estão ali dentro, mas para evitar, principalmente, que os funcionários se sintam inseguros sabendo que qualquer pessoa pode acessar o prédio. Para isso, o controle de ronda, uma atividade já antiga, vem se modernizando a cada dia, aumentando a segurança do ambiente.

Atualmente, o controle de ronda pode ser feito por meio de um software aliado a um bastão viggia. Ele, por sua vez, emite relatórios para gerir melhor esse processo.

Por que utilizar um controle de ronda?

Normalmente, indústrias e outras empresas de médio e grande porte possuem uma equipe de seguranças que são responsáveis por manter o estabelecimento protegido dia e noite. Mas como se certificar de que realmente os funcionários estão realizando as rondas que foram estabelecidas?

Esse é um ótimo motivo para usar o controle de ronda, especialmente no turno da noite, quando há apenas a equipe de segurança e você deseja se certificar de que tudo está correndo bem. Além desse benefício, podemos mencionar outros como a prevenção de furtos e a segurança dos equipamentos utilizados, que estão livres de fraudes.

Além de empresas, esse tipo de tecnologia é perfeita para condomínios. Certamente, os moradores se sentirão muito mais seguros, aumentando assim o valor dos serviços que são oferecidos pelo local. Essa sensação de tranquilidade é muito importante, especialmente, quando falamos de grandes cidades como capitais.

Como funciona?

Agora que você já conhece todos os benefícios que essa tecnologia pode oferecer, veja abaixo um passo a passo mostrando como o sistema de ronda funciona;

Passo 1: configurar os iButtons

O iButton é um botão inteligente no qual um código fica armazenado e que deve ser espalhado por diversos ambientes da empresa. Por exemplo, um pode ser colocado na entrada, outro no local onde fica o cofre, podem ser colocados também em todas as saídas e entradas do ambiente. Dessa forma, os iButtons conseguem se adaptar às necessidades da sua empresa, basta configurá-los.

Os vigilantes também precisam ser registrados no software. Assim, você terá o total controle de quem está realizando a ronda naquele dia e emitindo os relatórios. No software, também devem ser configurados os dias e horários das rondas.

Passo 2: instalar os iButtons

Agora que os iButtons já estão devidamente configurados, chegou o momento de realizar a instalação. Eles podem ser colocados tanto em áreas externas quanto internas, sendo bastante resistentes às intempéries do tempo como chuvas, vento, luz do sol, poeira e outros.

Passo 3: entregar o bastão de ronda ao vigilante

O bastão serve para fazer a leitura do iButton e para coletar os dados daquele ambiente. O segurança deve passar em cada ambiente onde os botões estão instalados para se certificar de que tudo está correndo bem.

Passo 4: verificar

Ao final do turno, você pode acessar o iButton mestre para ter a certeza de que as rondas foram realizadas pelos seguranças da forma que foi estabelecida. Não é preciso nem mesmo carregar o equipamento até a central.

Passo 5: descarregar

Conecte o bastão, via cabo USB, no computador no qual o software está instalado. Dessa forma, os dados ficam armazenados na máquina e assim, é possível fazer maiores análises e de longo prazo. Além disso, os relatórios gerados também ajudam a organizar os seguranças que fizeram a ronda durante um determinado período.

A Info Kings oferece estas ferramentas de forma completa e que forneça todo o serviço sem maiores complicações.

Deixe o ambiente mais seguro utilizando o controle de ronda. Ficou com alguma dúvida? Então, entre em contato conosco!

Diferenças entre Ponto Cartográfico e Ponto Eletrônico

Ter um controle de ponto na sua empresa é essencial para organizar a folha de pagamentos, aumentar a segurança, facilitar o trabalho do RH, entre outros motivos. Não importa se você tem mais ou menos de 10 funcionários, usar algum tipo de controle é importante. Mas, qual tipo de controle de ponto escolher? Existem dois principais: o ponto cartográfico e o ponto eletrônico.

Você, logicamente, quer fazer uma escolha que possa se adaptar melhor às necessidades da sua empresa. E, para que assim seja, primeiro é necessário conhecer bem as opções que existem no mercado.

Para ajudá-lo a tomar a melhor decisão, explicamos abaixo como funcionam os pontos citados acima.

O que é o ponto eletrônico e como ele funciona?

O relógio de ponto eletrônico é uma forma muito mais prática de arquivar e guardar de maneira segura todos os horários de entrada e saída dos seus funcionários. Você pode cadastrar cada um deles no sistema e assim, apenas com uso de um leitor biométrico, a passagem fica liberada. Além da digital, também é possível utilizar um cartão magnético.

Todos os dados, dentro de um determinado período, são armazenados em um software. Esse programa passará todas as informações necessárias não só ao RH, mas também ao fiscal do Ministério do Trabalho e Emprego.

O que é o ponto cartográfico e como ele funciona?

O relógio de ponto cartográfico é um tipo mais manual, no qual é necessário ter um funcionário para receber e separar os cartões dos funcionários. No ponto cartográfico isso é necessário para evitar que um empregado use o cartão do outro e crie uma grande confusão com questões de hora extra e problemas com inadimplência.

Nesse tipo de ponto, é o próprio funcionário que determina qual é o horário no qual está laborando naquele momento. Por exemplo, digamos que ele acabou de chegar às 8 da manhã para iniciar a jornada, então deve escolher o período da manhã para marcar o ponto. O período da tarde corresponde àquele após o almoço, normalmente das 14 às 18 horas. Também é possível determinar as horas extras, confirmando no ponto a entrada e a saída.

Um dos motivos pelos quais muitas empresas escolhem esse tipo de ponto em vez do ponto eletrônico é pela questão do preço, que costuma ser mais baixo. Porém, é preciso pensar no custo benefício, pois será necessário manter um outro funcionário apenas para organizar os cartões de ponto. Apesar de ser uma escolha excelente para uma empresa com poucos funcionários.

Qual é a melhor opção para o meu negócio?

A quantidade de funcionários que a sua empresa possui é o fator mais importante na hora de escolher entre o ponto cartográfico e o ponto eletrônico. Se você tem mais de 10 funcionários, o ponto eletrônico é o mais indicado, evitando problemas de cálculos de horas extras. No caso do ponto cartográfico, o gestor precisa contar as horas trabalhadas de cada cartão, ou seja, de cada funcionário, um por um.

Assim, não existe uma opção melhor do que a outra, mas sim, uma que se adapta melhor às necessidades da sua empresa. A Info Kings oferece as duas soluções e podemos ajudá-lo a escolher qual o mais indicado para o seu empreendimento.

Clique aqui e veja mais informações sobre o ponto eletrônico e cartográfico.

Solicite Orçamento

eSocial: Mudanças nos condomínios

Manter-se atualizado sobre a legislação brasileira é de fundamental importância, especialmente se você gerencia um condomínio. Não estar dentro da legalidade pode trazer diversos problemas, especialmente porque a nossa lei não permite alegação de não saber sobre o assunto para se eximir da culpa. Uma das mudanças mais importantes é sobre o sistema do eSocial.

Se você nunca ouviu falar nele, está mais do que na hora de saber como essa ferramenta funciona e como ela pode afetar a forma como você gerencia o condomínio.

Quer saber mais sobre o assunto? Então continue lendo este conteúdo!

O que é o eSocial?

As regras do eSocial começaram a valer desde o 1º dia do ano de 2018. Ele faz parte do projeto Sistema de Escrituração Pública Digital (SPED) e tem como principal objetivo facilitar o trabalho dos setores fiscais da administração pública. Nele, ficarão reunidas todas as informações trabalhistas, fiscais e previdenciárias de qualquer estabelecimento.

Como o eSocial afeta os condomínios?

Você deve estar se perguntando: o que tudo isso tem a ver com o meu trabalho dentro do condomínio? Se você tem funcionários contratados e o condomínio tem um faturamento superior a R$ 79 milhões anuais, o empreendimento precisa cadastrar todos os dados no eSocial.

Provavelmente, devem existir funcionários para realizar a limpeza, a segurança e outras tarefas que são necessárias dentro de um condomínio como cuidar do jardim, por exemplo. Pois bem, todas as informações sobre pagamentos, férias, 13º salário e outras obrigações trabalhistas que são pagas aos funcionários devem ficar registradas no sistema.

Outra mudança é quando um novo funcionário é contratado. Todo o processo deve ficar registrado no espaço do condomínio dentro do eSocial, assim como as obrigações previdenciárias, entre outras informações relevantes. Acidentes de trabalho, sem dúvida alguma, também precisam ser registrados.

Vejamos abaixo quais são outras mudanças relevantes para os condomínios com a obrigatoriedade do eSocial:

Exames médicos

Os exames médicos dos funcionários tanto na admissão quanto na demissão e em outros momentos como nos casos de acidente, além dos exames periódicos obrigatórios precisam ser registrados. Quem não cumprir essa regra, poderá pagar uma multa que varia de R$ 400 a um pouco mais de R$ 4 mil por cada empregado.

Alteração em cadastro ou contrato

O funcionário mudou de endereço? Houve alguma modificação no contrato de trabalho? Tudo isso precisa ser devidamente registrado no sistema do eSocial. Se você não quer pagar uma multa que pode ser mais de R$ 400 por funcionário, então atualize sempre as informações no sistema.

Acidentes de trabalho

Além de registrar o acidente de trabalho, o condomínio também precisa emitir a CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) não importando qual é a gravidade do acidente. O documento deve ser produzido em, no máximo, 1 dia útil após o acontecido.

Como evitar problemas com o registro?

Quer ter um melhor controle sobre as informações dos seus funcionários e melhorar a gestão evitando problemas futuros com o fisco? Você pode contratar os nossos serviços de controle de ponto, por exemplo. É uma forma excelente de facilitar o controle das entradas e saídas dos funcionários e melhorando assim o seu trabalho evitando erros.

projeto de acesso

Quer ficar bem informado sobre as mudanças que podem afetar o seu condomínio como as do eSocial? Então, assine a nossa newsletter!